ALZHEIMER PODCAST

pra esquecer das coisas ruins, pra lembrar das coisas boas

MARY O AND THE PINK FLAMINGOS

Surf-punk psicodélico do jeito que diabo gosta

PAQUETÁ

O fino do surf music underground

26.3.15

Noskill - Não Deixaremos Que Nos Escondam - EP (2013)


Aqui neste tosco espaço, sempre programo pra rasurar sobre bandas que eu gosto, mas por conta de algum infame desvio no juízo, acabo esquecendo de apresentar algumas preciosidades deste nosso subterrâneo sonoro. E com a Noskill não foi diferente, mas ainda bem que consigo consertar alguns erros, e eis que finalmente consigo rabiscar algo sobre esta incrível banda lá de João Pessoa/PB.
Conheci a banda por conta de algum flyer de show divulgado por este submundo virtual, e resolvi ir atrás pra ouvir o som e conheci uma espécia de demo que vinha com três sons, chamado "Reconstruir". Passado algum tempo, deparei-me com o novo trampo dessas mulheres, o maravilhoso EP "Não Deixaremos Que Nos Escondam". A bolachita conta com 6 cantigas do mais nervoso punk/hardcore, ora com uma pegada melodiosa, ora com uma pegada mais fast, muito influenciada por bandas como Abuso Sonoro, Bad Religion, Los Crudos, Bambix, e claro, as boas bandas do subterrâneo nordestino, como xReverx, Triste Fim de Rosilene e The Renegades of Punk. Com um posicionamento libertário, as letras abordam o cotidiano de uma forma contundente, sempre passando a mensagem de luta e persistência perante à uma sociedade conservadora e um sistema que sangra xs oprimidxs. Destaco as músicas "Montoia", "Rebeca", "Não Deixaremos que nos Escondam!" e a derradeira "MZR" (instrumental lindão). Vale citar também o quanto é massa ouvir o disco e perceber o bom encaixe entre o punk/hardcore tradicional e o hardcore melódico noventista. A maravilhosa capa do registro leva a assinatura do incrível artista Wendell Nark, deixando o registro mais requintado, e antes que eu me esqueça, esta baita banda é composta atualmente por Thuany Asevedo (vocal), Aline Myrtes (guitarra) e Camylla Oliveira (baixo), não possuindo baterista fixa no momento. Portanto, pare de reclamar e conheça mais uma ótima banda deste underground lado b (caso você não conheça ainda) e dê mais desgosto pra família tradicional!



Página da banda: Noskill

Ouça e baixe o EP aqui:


20.3.15

Discos que pioraram a minha vida #04: Hang The Superstars - Still Addicted


Depois de vender umas vuvuzelas e arrancar um troco dos coxa na passeata que mais pareceu uma reunião elitista pra ver amistoso da seleção, volto neste seboso espaço virtual pra dar continuidade a tosca coluna "Discos que pioraram a minha vida", desta vez chego pra relatar um pouco sobre o álbum "Still Addicted" da banda Hang The Superstars, lenda do underground de Goiânia. 
Este maravilhoso disco eu tive contato através de um amigo que emprestou e disse que era necessário ouvir aquele som, que segundo ele era diferente de tudo que se fazia em Goiânia e em boa parte do submundo sonoro nacional na época. Bom, peguei o disco, coloquei na mochila e fui ouvir só uns dois meses depois do empréstimo consignado de forma voluntária, vacilo grande meu, pois quando resolvi dar uma depurada no ouvidor com aquela bolachita, o esquema deu uma paulada da molêra mais forte que haxixe indiano. Na época eu sabia porra nenhuma de garage rock, surf music e coisas do tipo, e nesse registro da Hang reunia tudo isso de uma forma bem despretensiosa, amadora e intensa. Os vocais femininos, as letras meio-chiclete e a sonoridade vagabunda faziam do bagulho algo bem hipnotizante, e este disco foi bem responsável pra que eu fosse buscar muita coisa relacionada ao gênero, me fez também querer ir e consumir mais da contracultura goianiense. Lembro que a primeira vez que vi a Hang The Supertars ao vivo foi uma chapação só, com muita doidice, cueca suada, quilos indo embora em rodinhas toscas e boas amizades de rock. Através da Hang ( algo mais próximo da minha realidade de rolê na época) eu pude perceber que pra acontecer bastava fazer, mesmo com o punk ensinando muito sobre todo esse esquema do faça-você-mesmx, pra mim era tudo muito teórico ou no máximo eu podia ver a prática do D.I.Y quando meu irmão ensaiava no quarto dele. Cantigas como "Shark", "You Make Me Down" e "Kiss" por um bom tempo foram musicólas bastantes executadas em meu cômodo-dormitório podre. 
O disco, a banda e tudo que girava em torno dela foram coisas muito incríveis que eu pude ter contato e que mudaram a minha realidade na época, já que eu pude ampliar as possibilidades e eu passei a acompanhar mais os fests podres da cidade e boa parte da produção underground daqui. Sou grato por essa banda ter existido e ter estragado a minha vida!ng 

Download:
Hang the Superstars - Still Addicted (2001)


Ouça o disco "Still Addicted" aqui:

19.3.15

Kallangoz - Babacas no Mosh - EP (2015)



Kallangoz é uma banda de hardcore/crossover que está na ativa desde o finado ano de 2012, e que saiu dos buracos sujos da cidade de Paracambi/RJ. Formada pelos bons bacharéis Lucas (vocal), Everton (cordas finas), Wellison (cordas grossas) e Alef (bateria), estes embaixadores da sinfonia da desgraça soltaram o material físico do EP "Babacas no Mosh" no começo deste ano. Com uma forte influência de Ratos de Porão, o disco é uma mescla barulhenta de crossover, hardcore e metal punx, gravado de forma independente, ao melhor estilo faça-você-mesmx, do jeito que o cão gosta e sociedade odeia. A bolachita conta com 10 boas cantigas pra arrastar o pé no mosh, mas como diz o título deste registro, não seja um babaca. Simples e direto, as músicas possuem uma sonoridade calcada na velha escola, aquele esquema da bateria-cavalo-manco aplica-se bem por aqui, pra headbanger de calça colada não botar defeito e sentir a chicotada sonora bem no meio das costas ôca. Destaco aqui as músicas "Lavagem Cerebral", "Babacas no Mosh", "Vivendo Uma Vida Vadia", "Profissional da Fé", "Punk Thrash" e "Anti-Cristão". Pra você que costuma deixar o seu cabelo amanteigadx (aka sem lavar), decepciona pais e familiares por gostar mais das ruas/bares do que da faculdade/trabalho, possui tatuagens satânicas, fuma droga ou é tortx e rejeitadx de alguma forma pela família tradicional, este belo disco é pra você "piorar" a sua vida. Recomendo ouvir este cospe-fogo-sonoro sapecando a lomba com navalha. Ouça e espalhe!

Página da banda: Kallangoz


Ouça e baixe o EP "Babacas no Mosh" aqui:

12.3.15

Vídeo Clipes / Documentários Viciantes da Semana #03





Este seboso sítio vota com a engavetada coluna "Vídeo Clipes / Documentários Viciantes da Semana", disponibilizando para este público-tosco-cativante boas produções do audiovisual deste subterrâneo sonoro. Coloque alguma gotinhas de Moura Brasil pra limpar e desavermelhar as vistas e simbora pra ver estas maravilhosas películas que vamos mostrar nesta postagem.


Começo aqui com o clipe "Alianças do Medo" da banda Comedores de Lixo. O vídeo foi lançado no dia 8 de março e aborda o tema da violência contra a mulher, denúncia para um grave problema que afeta milhares de mulheres e que não pode passar desapercebido do nosso cotidiano.




No episódio de encerramento a Pé de Macaco S/A apresenta seis bandas inéditas (Abdicated, Luta Civil, Ironias, Dead Human, Orange Disaster, The Fingerprints) na série fizeram apresentações memoráveis no Parque do Bicão em São Carlos-SP, em mais um evento gratuito e aberto. Se você não estava lá e quer saber como foi, ou se estava e quer relembrar, tá no ar o Metal Punk Attack #8.



"Subversão Underground" é um vídeo/documentário feito em João Pessoa/PB que mostra intervenção de ideias e músicas realizada no Teatro Cilaio Ribeiro (antigo Okupa Punk). O evento contou com bandas anarcopunks, de hardcore e demais estilos. Confira:


"Manpiguari" é um mini-documentário sobre o novo disco da banda Ressonância Mórfica. Neste vídeo os integrantes da banda e pessoas importantes da cena underground goianiense explicam a construção do disco, as músicas e a importância da banda para o cenário do centro-oeste e nacional.


E pra finalizar disponho aqui uma maravilhosa película da incrível banda Lo-Fi. A cantiga em questão é "Ingrata (ela é o meu protetor de tela)" e está presente na nova bolachita da banda, o Love Songs Vol. 1, disco esse que é bem canalha e que este blog está enrolando pra rasurar. Veja o vídeo.


É isso, algum dia voltamos pra reviver esta seção. É o que esperamos.

10.3.15

TEST (SP) em Goiânia no evento "SEXTA-FEIRA 13"



Insetu's Produções apresenta:

SEXTA-FEIRA 13

Com as bandas:

TEST (SP) - http://www.testdeath.com.br/

Caligo (DF) - https://caligodoom.bandcamp.com/

Entre os Dentes (GO) - http://entreosdentes.bandcamp.com/

Murder (GO) - https://www.facebook.com/pages/Murder/979203415428551

Data: 13/03/2015 (Sexta-Feira)
Horário: 19 Horas
Valor: R$ 10,00
Local: Old Stúdio (Av. Araguaia, 603, Centro - Goiânia-GO)
Link do evento: https://www.facebook.com/events/1544675375805107

Apoio: Insetu's Zine - http://insetuszine.blogspot.com.br/
            Hocus Pocus - https://www.facebook.com/hocus.loja

6.3.15

Discos que pioraram a minha vida #03: Dead Fish - Sonho Médio





Eu tenho certeza que esse disco aqui entortou a vida de muita gente por aí, e comigo não foi diferente. Conheci a Dead Fish através da cantiga "Anarquia Corporation", mas eu só fui ouvir um disco completo mesmo quando eu tive a grata oportunidade de ter contato com o "Sonho Médio",  mesma época em que eu tava ouvindo muito Dance of Days e que como eu já tinha dito, abriu um leque de opções sonoras em minha mente. 
Esse disco conseguiu arrebanhar minha pessoa principalmente por conta das letras, claro que a sonoridade também foi cativante, e numa época em que eu já tinha uma consciência negra bem ativa por conta da cultura Hip Hop, me deparei com a cantiga "Mulheres Negras" e toda aquela parada de ler Malcolm X, Panteras Negras, Angela Davis, Mumia Abu Jamal, Zumbi, tudo veio a tona de uma forma muito intensa e digo que este foi um dos discos que mais ouvi nessa breve-longevidade-tosca-humana. Letras em português, causa indígena, terceiro mundo, vida fudida, skate, hardcore muito mais próximo daquela minha realidade descompromissada. Não lembro qual foi o primeiro show que eu vi deles, mas sei que foi um dos primeiros que me lasquei de verdade em rodas e moshs, algo pleno para um jovem tosco que começava a ampliar o horizontes para as causas e os problemas do cotidiano. Músicas como "Sobre a Violência", "Paz Verde", "Sonho Médio", "Fragmento" e "Canção Para Amigos" eram obrigatórias nas reuniões joviais que aconteciam em alguma residência do Parque Atheneu, Zona Show de Goiânia. Assim como o rap, o hardcore teve uma função educacional melhor que meus pais em minha formação, fora dos padrões estabelecidos e contestadora desde sempre. 
Dead Fish é uma banda que eu respeito muito, apesar de não acompanhar mais os derradeiros lançamentos dos cabras, e digo que esse disco é um dos pilares para a sua deterioração sonora dentro do underground. Se não conhece, tá perdendo muita coisa!

Ouça o disco "Sonho Médio" aqui:

Devir - Sem Encaixe (2014)


Devir está na ativa desde 2013 e é da cidade de Santa Cruz do Sul/RS. Formada por Yanaê (vocal), Marcel (guitarra), Felipe Zaka (baixo) e Gibran (bateria), a banda lançou em julho do ano passado o seu primeiro registro, o disco "Sem Encaixe". Contendo 7 cantigas na bolacha, a sonoridade é uma excelente mescla de punk, hardcore, post-hardcore, emo e pitadas de lo-fi, fazendo do disco um dos ótimos lançamentos deste nosso underground lado-b. Com temas que abordam desde a fuga pelo padrão estabelecido pela sociedade por parte da mulher até a legalização da prostituição, o ideal libertário / igualitário é presente em toda a construção deste registro. Vale citar aqui o bom vocal da Yanaê, as belas linhas de guitarra, bateria e baixo que servem de base e força para a construção melódica, com boas referências à influência da sonoridade noventista. Falando das músicas, destaco as boas "PL 98/2003", "Escafandro dos Lobos Uivantes", "Sem Encaixe", "Vidas Individuais" e "Forgotten", pois foram as que mais me agradaram, pelo bom encaixe de cantoria, melodia e letra, mas recomendo ouvir a bolachita por completo, pois o esquema é forte e intenso, hardcore/punk sincero e que consegue repassar a mensagem de forma bem honesta, simples e direta. Referindo ao material físico, o registro é uma preciosidade deste submundo sonoro, com artes colaborativas de artistas como Polim Moreira, Cristiano Onofre, Ernesto Sena, Ana Clara, Kamila Lin, Jaime Castro, Daniel Hogrefe e Duda Maria, fazendo do disco um artigo indispensável para xs colecionadores de materiais subervisos / DIY / punk-hardcore. Se você procura por bandas novas, eis aqui uma ótima dica pra abrir e / ou ampliar as possibilidades dos bons pensamentos e das atitudes que possam contribuir de forma positiva para este nosso refúgio libertário. Disco massa, ouça, baixe, compre e espalhe para suas amizades!

Página da banda: Devir

Ouça e baixe o disco aqui:

2.3.15

Barulho no Beco apresenta: Quero Debochar


Na concepção deste sítio, o nordeste é o melhor lugar pra pirulitar de vez a mente neste submundo da produção contracultural, e nessa levada doida toda existe o Barulho no Beco, produção itinerante vindo diretamente das bocas de lobo e que espalha a marginalidade punk pelos canos sujos da quente Mossoró/RN.
Pois bem, desta vez a galera de lá resolveu "Debochar Legal" e resolveram reunir a fina flor do Tropical Punk, com o surf-esquizofrêniko da Jubarte Ataca (quem sofre de reumatismo tá lascadx com a agitação-delícia desta banda!) de um lado, com a doidice punk-surf-sujo da Mahatma Gangue (burguesia-noujo em choque e dreads-de-ceroto na diversão podre) do outro lado e a maravilhosa The Renegades of Punk com o que há de melhor na cantiga feroz produzida neste subterrâneo sonoro. 
Essa negada boa ainda produziu um magnífico vídeo-chamada para este galante evento, numa perfeita adaptação de parte de um clássico clipe da Twisted Sister, Tela Class com sotaque e dialetos que aprendi a gostar com a plena convivência de vó e mãe, boas heranças de Exu/PE. 

Algum dia desses eu dou um nó nos compromissos do cotidiano e me mando de vez para os lados de lá. O submundo sobrevive, e bem!

Barulho no Beco Apresenta:

QUERO DEBOCHAR

Com as bandas:

The Renegades of Punk
Jubarte Ataca
Mahatma Gangue

Data: 15 de março - Domingo
Local: Praça da Aeróbica - Mossoró/RN
Horário: 19 Horas
Contribuição Voluntária