ALZHEIMER PODCAST

pra esquecer das coisas ruins, pra lembrar das coisas boas

MARY O AND THE PINK FLAMINGOS

Surf-punk psicodélico do jeito que diabo gosta

PAQUETÁ

O fino do surf music underground

12.12.14

United For Thrashcore com Bandanos (SP) - 14 de dezembro em Goiânia


Evento que faz parte das comemorações dos 10 anos do Thrashcore Fast

A rota criminal é a seguinte:

Segue o rolê:

15h00m - Abertura da Casa
16h00m - Dead Meat (GO) - Trio Thrash Metal
17h00m - Death From Above (GO) - Crust/D-Beat Maniac
18h00m - Bandanos (SP) - Crossover
19h00m - Atomic Winter (GO) - HC Melódico de 2 guitarras
20h00m - Higiene Mental (GO) - Punk/HC old school

DATA = 14/12/2014 - DOMINGO
HORÁRIO = 15 HORAS
PREÇO = R$ 10 REAIS
LOCAL = CAPIM PUB (Rua 05, esquina com av. Independência, Setor Aeroporto)

LINK DO EVENTO: https://www.facebook.com/events/283644975179258

9.12.14

Agressão Fast-Violence com Requinte em Goiânia

Na derradeira quinta-feira, Goiânia (cidade dos fatos mais bizarros noticiados na mídia tradicional) foi palco de uma noite devastadora quando refere-se à cantiga feita de forma extrema e rápida. É que um dos maiores nomes atuais dentro do grindcore/powerviolence mundial passou por esta metrópole provinciana e deixou bons danos para algumas centenas de presentes que estavam no local do crime. 
O dia era corrido e pra começo de conversa, consegui burlar a lei do sistema trabalhista e havia adquirido a liberdade do semi-aberto (aka bico) pra poder preparar-se podremente para o baile formoso que aconteceria no período noturno. Bebi umas cana com meus amados amigos maranhenses pra dar uma calibrada nas imediações do Terminal Praça da Bíblia, ajeitei a beca pôdi, e já embriagado e sem ter nexo do que falava ou via, parti para o baile jovial. Era a minha primeira vez na Diablo Pub, boate da cena alternativa que consegue abocanhar hypes, gente podre/desajustada, agroboys e patrícias num ambiente super bem estruturado e espaçoso. Doeu lá na raíz do olho quando recebi a notícia de que uma long neck estava no preço de 7 cãe$ de cruzado$ novo$, mas pra quem acostumou-se a beber cerveja em temperatura ambiente no Capim Pub, até que segurei o aperto do bolso, muito por conta da maravilha gelada que estava a kryptonita (aka heineken) e bebi, bebi, bebi. Conhecendo o ambiente e aconchegando no espaço aberto da casa, me deparei com algumas nobres podres figuras da cena tosca goianiense, e levei um bom lero com o mestre Rustoff e sua namorada enquanto o baile-formoso-da-juventude-contra-a-família-e-deus não começava. Naquela altura eu já estava bem doido de cana (não, eu não uso tóxico clandestino, atualmente só consumo remédio controlado-tarja-preta, que misturado com álcool... bom você já sabe!) e conversava até com gente que difamo.
Entre uma boa cantiga de thrash metal e outra de pós punk, sob o comando do Segundo (Two Beers Or Not Two Beers, Os Canalhas, Corja), alguns riffs começavam a vir do outro ambiente, era a Ressonância Mórfica convocando a negada para o death-grind nervoso, o melhor que há por essas bandas de cá do centro-quente deste país. Os cabra estavam apresentando o seu novo álbum, "Manpiguari", e Marcão & Cia mostraram que a cada dia que passa estão mais afiados e agressivos. Uma lindeza ver esses manauaras, erradicados em Goiânia já por um bom tempo, tirarem um som com bastante qualidade e sinceridade, num espaço underground com tantas dificuldades que já conhecemos. Uma coisa que me agradou muito foi a acústica do lugar e a regulagem do som, que lascou com meu ouvidor da melhor forma possível. Passada a devastação sonora e com boas dores na junta e parte do pescoço, voltei pro ambiente externo e pra cana, pois o cão estava me atentando e fazendo eu gastar toda a minha economia através de um plástico retangular e seis dígitos que simbolizam o satanismo capitalista moderno.
Naquela altura da noite-madrugada eu ainda estava consciente, mas muito doido, e vi que os Madrugas iriam começar o forró de cego, entón adentrei para o lado espaçoso do esquema novamente e vi de boca aberta, uma das maiores devastações sonoras ao vivo,
com aqueles americanos maravilhosos, power-trio que só podia ter feito um pacto com a besta-fera. Foram pouco mais de 20 minutos, rolou até bis, tipo esses shows grandes de bandas e tal. Mas é sério, fiquei impressionado com a força e a vitalidade desses infames, powerviolence pra vagabundagem nenhuma botar defeito. A noite foi muito boa e quem não foi por opção, perdeu um bom evento de cantiga agressiva, bem organizado.
O dia seguinte foi cruel, bem cruel, mas valeu por toda a loucura que já tinha um tempo que eu não fazia, e deixo aqui meus agradecimentos sinceros ao Júlio pela consideração de sempre, vida longa ao Thrashcore Fast e aos que fazem deste rock que eu gosto algo além de status e lucro. Que venha mais, desajustado como tem que ser!




***Apesar da falta de tempo e do desanimo que bate por vezes, vou seguir com o blog, depois de alguns papos que levei domingo na magnífica apresentação do Terrorizer, fiquei de certa forma emocionado, não preciso citar nomes, mas para o desespero de alguns, ano que vem tem muito mais coisa podre vindo deste chorume virtual.

Fotos por: Julio Vieira

2.12.14

Goiânia Noise Festival 20 Anos - 05, 06 e 07 de Dezembro




Este maldito ano de 2014, com tantos fatos infames que ocorreram, ainda tem algo de bom pra aproveitar neste derradeiro mês em que comemora o nascimento do raparigo de nazaré. É que o Goiânia Noise Festival, o maior e mais famoso festival de cantiga independente deste país chega aos 20 anos comemorando com muito glamour, rock e requinte. Digo isto pela programação maléfica deste ano que conta com alguns nomes pesados do naipe de Biohazard (EUA), Terrorizer (EUA), Korzus (SP), Radio Moscow (EUA), Mundo Livre S.A (PE) e outros, além de eventos integrados como o Cine Esquema Noise (mostra de cinema sobre música) e a Exposição Noise 20 Anos! (Exposição do mestre Marcatti e dos cartazes de todas as edições do Goiânia Noise). Vale lembrar que dentro da programação oficial ainda conta com lendas do underground goiano como o Spiritual Carnage, Mechanics e Ressonância Mórfica, e bandas mais recentes como a Coerência, Pedrada, Ghon, Coletivo Sui Generis e The Galo Power. Com certeza, se você hoje é uma pessoa torta que não orgulha seus familiares e causa repúdio na sociedade tradicional goiana, pode acreditar que este festival tem uma grande parcela de culpa e influência, portanto posso dizer que Goiânia tem o privilégio de receber este nobre evento, que mudou a concepção da cultura alternativa da cidade e das regiões adjacentes. 

Programação

SEXTA FEIRA – 05/12 – Centro Cultural Oscar Niemeyer
19:30 20:00 Ghon (GO)
20:15 20:45 Coletivo Sui Generis (GO)
21:00 21:30 Girlie Hell (GO)
21:45 22:15 Mechanics (GO)
22:45 0:00 Matanza (RJ)
0:30 1:45 Biohazard (USA)
SÁBADO – 06/12 – Centro Cultural Martim Cererê
16:00 16:30 Off a Cliff (GO)
16:30 17:00 Pedrada (GO)
17:00 17:30 Gonorant$ (DF)
17:30 18:00 Coerência (GO)
18:00 18:30 Revolted (GO)
18:30 19:00 The Dead Pixels (MG)
19:00 19:30 Gasper (GO)
19:30 20:00 Damn Stoned Birds (GO)
20:00 20:30 Overfuzz (GO)
20:30 21:00 Diego Mascate (GO)
21:00 21:30 Them Old Crap (PR)
21:30 22:00 The Neves (DF)
22:00 22:30 Spiritual Carnage (GO)
22:30 23:00 Barizon (RJ)
23:00 23:30 Space Truck (GO)
23:30 00:00 Hellbenders (GO)
00:00 00:30 The Galo Power (GO)
00:30 01:00 Carne Doce (GO)
01:00 01:40 Radio Moscow (EUA)
01:40 02:30 Mundo Livre SA (PE)
DOMINGO – 07/12 – Centro cultural Martim Cererê
16:00 16:30 Red Light House (GO)
16:30 17:00 Almost Down (GO)
17:00 17:30 Two Wolves (GO)
17:30 18:00 Dogman (GO)
18:00 18:30 Bang Bang Babies (GO)
18:30 19:00 Luxuria de Lilith (GO)
19:00 19:30 DDO (GO)
19:30 20:00 Dry (GO)
20:00 20:30 Boca Seca (GO)
20:30 21:00 Daniel Groove (CE)
21:00 21:30 Tonto (GO)
21:30 22:00 O Satânico Dr. Mao e os Espiões Secretos (SP)
22:00 22:30 Relespública (PR)
22:30 23:00 Ressonância Mórfica (GO)
23:00 23:30 Cachorro Grande (RS)
23:30 00:15 Terrorizer (USA)
00:30 01:20 Korzus(SP)