ALZHEIMER PODCAST

pra esquecer das coisas ruins, pra lembrar das coisas boas

MARY O AND THE PINK FLAMINGOS

Surf-punk psicodélico do jeito que diabo gosta

PAQUETÁ

O fino do surf music underground

31.3.11

Ratos de Porão - Feijoada Acidente? - Internacional (1995)





Disco de covers de bandas gringas feito pelo Ratos de Porão lá nos perdidos de 1995, "Feijoada Acidente?" contém versões bonitas para clássicos como "Private Affair" do The Saints, "Police Story" do Black Flag, "In My Eyes" do Minor Threat, "Red Tape" do Circle Jerks e tantas outras lindezas adjacentes da desgracêra rápida sonora. O título como todos sabem (se tu não sabe, vai chupar siriguela verde com sal!) é uma sátira ao disco de covers das moças do Guns n' Roses, Spaghetti Incident?, lançado na mesma época. Essa é uma boa oportunidade pra você que adciona centenas de comunidades de bandas no órkut, não conhece quase nenhuma, usa "X" na mão sem saber o significado, de conhecer bandas que realmente fazem/fizeram parte da história do punk/hardcore mundial. Se você é desses que possui um bicho morto dentro de si e ainda consegue cagar em banheiro da casa de namorada com todos os familiares reunidos no recinto, guerreiro..., esse post é pra tu, grande autarquia!

Obs.: Disco postado ao som da linda cantiga "Praia" do elegantíssimo Ademir Galeno, o Kalifa do Brega.

Track List

01 - Fuck Off and Die (Chaotic Dischord)
02 - Private Affair (The Saints)
03 - Pure Hate (Poison Idea)
04 - Servitu Militare (Eu's Arse)
05 - Big Women (G.B.H.)
06 - Bad Guy Reaction (Rezillos)
07 - Police Story (Black Flag)
08 - Sprackta Snutskallar (Shitlickers)
09 - Raped Ass (Anti-Cimex)
10 - Red Tape (Circle Jerks)
11 - Suspect Device (Stiff Little Fingers)
12 - Mucha Policia (Eskorbuto)
13 - In My Eyes (Minor Threat)
14 - Aloha, Steve and Danno (Radio Birdman)
15 - Kitaat on Natisisikoja (Kaaos)
16 - Rajojettu Ydinisota (Rattus)
17 - Yeah, Yeah, Yeah (Vibrators)
18 - Insight (Dead Kennedys)

Myspace: Ratos de Porão

Download:
Ratos de Porão - Feijoada Acidente? - Internacional (1995)

29.3.11

The Push Mongos - Demo(2010)





The Push Mongos é de São Paulo. Black Flag+Poison Idea+Dag Nasty+B.U.S.H.+NOFX+Adolescents+Agent Orange+7 Seconds+Renegades Of Punk+Negative Approach+Acordes distorcidos+Vadiagem+Faction+D.O.A.+Descendents. Essa mistureba toda te dá a noção do que essa lynda banda produz em termos de sons. Os joviais possuem uma demo soltada ano passado, contendo 8 cantigas lindamente gritadas na voz de Mila. A última faixa "What We Do Is Secret" é uma versão muito boa do The Germs. Aqui fica o meu muito obrigado à banda por ter adcionado lá no myspace e assim eu ter tido a possibilidade de conhecer essa beleza de som. Até mais ver, bonitos(as)!


Myspace: The Push Mongos

Download:
The Push Mongos - Demo(2010)

28.3.11

Um sábado da bhesta

Desde a última sexta-feira, na qual eu estava presente no já tradicional chorinho do Grande Hotel, situado no centro de Goiânia, local onde os encontros e desencontros ocorrem de maneira bem peculiar, minha expectativa pelo rolê de sábado consumia boa parte de minha tosca ansiedade exagerada, tudo por conta da possibilidade em ver as apresentações da lenda do d-beat mundial Besthöven e do rap "charles bronson" do Facção Central. Pois é, depois de uma noite/madrugada agradável ao lado de nobres bebedores de lança perfume, pessoas interessantes e dispensáveis, o sábado chegara pra mim com o telefone tocando exaustivamente e com a triste realidade de não ter um puto sequer no bolso. Lascava-se tudo pra mim naquele momento, vendo o rolê digno escorrer pelo ralo do esgoto e me conformando em ficar vendo Altas Horas e programas que o valha. Tratei de agir na vida e com a minha vasta experiência na profissão de auxiliar de serviços gerais, capinei três quintais de vizinhos conservadores pra conseguir a grana e por em prática o passeio arquitetado em minha doce e limpa mente. Dinheiro ganho, parti para o Old Studio e durante o trajeto chegara o aviso diretamente em meu tosco celular a notícia de que o rolê para o show do Facção Central teria que ser abortada por motivos de tretas antigas. Cheguei atrasado ao local e com isso eu ficara sabendo que tinha perdido a apresentação dos amigos do Abalo Sísmico. Em conversas paralelas, me disseram que o concerto dos jovens tinha sido bem lynda, com direito a streaptease por parte do vocalista da banda, que atende pela alcunha d Muhamad.
Entre uma partida maneira de sinuca, uma cerveja gelada, um caldo bem apimentado, conversas e expectativas acerca da apresentação de Fofão e sua trupe maligna, o pessoal do Death From Above iniciavam a batalha, enquanto minha pessoa trocava idéia do lado de fora do recinto com algumas figuras da cena. Com um público razoável e bastante empolgado, uma bandeira de tamanho legal e com a logo dos "d-beat maniacs" ao fundo dava um charme maior para a apresentação dos bonitos. Ali não tinha espuma, nem prancha, muito menos balões, mas o agito do pessoal compensou a "falta" de recursos, joviais se contorcendo de forma bem sincronizada, respeitosa e decadente. Após a apresentação impecável de Glauco e sua turma, fui tomar um pouco de fôlego para aguentar a intensa jornada daquele excelente sábado, até então. Fuçando discos sorrateiramente em uma brecha da parede pela figura de Xiquerinho, entre uma farofa e outra(de Kiss à Motley Crue), encontrei um vinil do eterno malandro bezerra da Silva(O Melhor do Partido Alto, de 1981). Por 5 cruzeiros novos arrebanhei a bolacha e o sorriso na cara eu não conseguia mais disfarçar. Satisfeito com minha aquisição, fui para a apresentação dos candangos do Murro No Olho, banda essa que eu tinha visto de forma brilhante na histórica apresentação do Varukers, lá no Conic. O crust sujão e pesado do conjunto demoraram um pouco para empolgar os joviais espectadores da desgraça sonora. Gostei muito do que presenciei, apresentação bem crua e direta, destacando também o contraste legal que o elegante Felipex causa na banda.
Conversas boas, suór, som alto e um tagarela gordinho davam o tom daquele inferninho em que o recinto se transformara. A ausência de boa parte do pessoal dito e inserido na cena punk/hc da cidade, era pauta constantes nos papos. Tá que muitos daqui não conhecem o Fofão e a enorme representatividade que o Besthöven tem para a cena, não só nacional, mas mundial. Mas buscar conhecer, abrir novos horizontes, conhecer e entender mais da cultura underground que você tanto exalta em frases de MSN e camisetas descoladas é um dever, saber que a festa é sim necessária para aliviar as tensões do dia-a-dia, mas que a consciência político/social e a contracultura também estão inseridas nesse contexto e que isso forma caráter e uma pá de coisa que eu poderia descrever em centenas de páginas e tal. A mudança de postura é importante e necessária não só para o fortalecimento da cena, mas para a própria moldagem do caráter do indivíduo.
Pois bem, voltando para o rumo das apresentações, minhas expectativas em ver pela primeira vez a um concerto do Besthöven eram bem grandes e quando Fofão e seus pupilos começaram os primeiros acordes, a emoção bateu e só quem gosta dessas porcarias é que pode explicar a intensidade que certas bandas causam, Besthöven é uma dessas(pra mim...), um filme veio na cabeça e lembrei-me de quando eu pirava no visu desse povo tosco, do nome macabro e da sonoridade e letras, sujas e bem periféricas, falando de uma realidade que eu via de perto. E posso dizer que o concerto dos bonitos superou minhas dúvidas com uma apresentação cortante, foi literalmente uma pesada no peito, tirando apenas alguns deslocados que acharam que o ambiente era espaço para cotoveladas e aberrações toscas. Foi uma verdadeira aula para os amantes do estilo, para os que não conheciam e para os desavisados de plantão, com a figura de Fofão bem à vontade no ambiente. Ficou realmente na memória, pena que muitos daqueles que valorizam mais o visual e dão muita importância para um status besta e descartável, não tenham visto os concertos desgraçados ocorridos naquele sábado, pois a bhesta estava à solta para quem demonstrasse interesse em absover ou incorporar da melhor(ou pior...) forma possível as blasfêmias invocadas pelos nobres podres, em formas de melodias rápidas, sujas e letras realistas. Foi um rolê bastante proveitoso e marcante. Beijos e até a próxima, amados(as).

25.3.11

Xico Xavier - Demo




A banda é lá de Recife-PE e atende pelo singelo nome de Xico Xavier. É powerviolence com letras psicografadas por esses decadentes que transmitem a mensagem do "espiritismo" através do som rápido e tosco. A galhere possui uma linda demo, contendo 17 sons ultrarápidos, deixando até a figura notória de Allan Kardec de boca aberta e sem conseguir invadir o corpo de algum apreciador do som. Digo que o som é realmente bonito, talvez porque eu goste dessas porcarias de som rápido e tal. Pois bem, se liguem nas colagens que esses embaixadores fazem, especialmente na última faixa, "Muito Prazer", com um brega muito do safado feito para os nóias e decadentes desse mundão. A verdade é que após você ouvir esse registro, tu ficará com a alma tão carregada, que figuras do naipe de Tião Macalé tomarão posse de teu corpo com a maior facilidade do mundo. Ouça da pior forma possível. Até logo menos, queridos(as)!


Myspace: Xico Xavier

Download:
Xico Xavier - Demo

24.3.11

Hardcore São Paulo - Fun, Milk & Destroy(1993)



"São Paulo Hardcore - Fun, Milk & Destroy ", coletânea que juntou bandas da cena hardcore de São Paulo ali no começo dos anos 90. Originalmente lançado em vinil, com João Gordo entre os produtores do registro e tal, a parada reúne Intense Manner Of Living, Muzzarelas, Kangaroos In Tilt, Lethal Charge e o No Violence. Dá pra ver que a bolacha é fissurinha do começo ao fim, né? Percebe-se muito da influência do hardcore americano da década de 80, tanto nas letras(todas em inglês) e até na pegada do som mesmo, saca? Velhotes da cena irão chorar e novos que não conhecem e acham que são alguma coisa irão pirar no bagulho. Mano, registro lyndo, histórico e que vai fazer você lembrar da época em que tu voltava de ônibus e ia direto pro fundão só pra subir em cima do motor, ouvindo hardcore naquele walkman do Paraguay comprado com muito custo nas banquinhas de camelô da Avenida Goiás. Ouçam, jóvens!


01 - Intense Manner of Living - Acceptance & Respect
02 - Muzzarelas - Damn Diarrhea
03 - Muzzarelas - Oh, Shit!
04 - Kangaroos In Tilt - Painted Like Clowns
05 - Kangaroos In Tilt - No Choice
06 - Lethal Charge - Time of Fear
07 - No Violence - Never Give It Up
08 - No Violence - Attitude Problem
09 - Intense Manner of Living - Structural Man
10 - Kangaroos In Tilt - A-Politic
11 - Kangaroos In tilt - Shit Heads
12 - Intense Manner of Living - World Goes Down?
13 - Intense Manner of Living - Real Friends
14 - Lethal Charge - Pale Twilight
15 - Lethal Charge - Fighting For What?
16 - No Violence - Activate
17 - No Violence - Up To You
18 - Muzzarelas - Sometimes I Cry When I Watch TV

Download:
Hardcore São Paulo - Fun, Milk & Destroy(1993)

22.3.11

Suór, hematomas e brilho no olhar

Sabe, nem era pra isso está sendo escrito, nem era pra você está lendo esse tosco relato, pois numa sexta a noite o mais óbvio seria eu cumprir com minhas obrigações acadêmicas e assistir aulas programadas para terminar as 10 da noite. Já pensou, aula na sexta já não é uma coisa para um cristão, pessoa de bem e tal, ainda mais à noite, penso que isso só serve para testar a sua fé e sua força de vontade. A minha é até grande(a força de vontade, que fique bem claro!), mas naquele específico dia, eu já estava com a mente mais malandra do que peão dando miguelagem em fim de expediente, pois naquela noite, na minúscula e "arejada" sala do Old Studio, a banda Discarga, de São Paulo(sim, aquela que já tocou no Obscene Extreme, tem o Juninho no baixo e blá blá blá...) iria fazer uma apresentação e a expectativa, não só minha, mas de boa parte dos que iriam presenciar o fato era de como aquela salinha iria suportar tamanha espectativa e insanidade já conhecida dos lindos daqui. Fato é que a noite prometia e mesmo com a ameaça da chuva querer estragar o rolê de alguns, a espectativa eram as melhores. Sei que cheguei "cedo" no local, avistando apenas a figura inconfundível de Wilton Obeso, sim, o garoto que quando pequeno participava de todos os programas toscos via telefone , forçado por sua avó e que protagonizou a hilária participação no extinto Programa Fantasia(clique aqui e comprove). Bom, aos poucos a galhere ia chegando, alguns falando que tinham dado o pinote no trampo, outros no cursinho, outros nas namoradas e alguns não tinham argumento nenhum, eram vagabundos por opção mesmo. Adentrei no estúdio e já tinham alguns bonitos e bonitas por lá, jogando uma sinuca básica, fumando, proseando sobre a noite que prometia ser histórica para os amantes da música rápida. Logo começara as apresentações, iniciadas pela banda Coerência, daqui da capital, joviais que fazem um hardcore melódico bem intenso e técnico. O show dos bacharéis pelo que presenciei, deixou boa parte dos presentes na salinha bem impressionados com a rapidez e força com que a banda se apresentava ali. Confesso que foi o melhor concerto que vi dos lindos, bem melhor daquele que presenciei há algumas semanas atrás no Martim Cererê. Com certeza a diferença de público e de espaço contribuiu para a minha satisfação. Suado levemente, meu corpo mal poderia esperar pela sopa que eu iria virar ao final de tudo. Entre conversas interessantes, proveitosas e por vezes hilárias(né, Feurnanda?), vi que eu já estava meio alterado por conta das latinhas azuis que minha pessoa degustava com muita competência. A presença de alguns modelos como o Diego(Todos Contra Um, Sailor Edge...) e Alysson(DxDxO, Repúdio CxGx e Demonterror) faziam daquela reunião de decadentes ainda mais agradável. Deixei meus amados coleguinhas do lado de fora do recinto e parti para a apresentação dos carroceiros candangos do Nossa Escolha. Hardcore oldschool empenado, do naipe de freezer de plástico de mobilete que fica exposto ao Sol. Os bonitos tem o dom de emocionar velhos e moços com suas canções rápidas e seus covers de Youth Of Today e demais lindezas do gênero. Certo era que Felipex não segurava os vocais sozinho, dezenas de muitos doutores vociferavam juntos, libertando demônios incrustados no decorrer de uma semana conturbarda, cheia de pressões e cobranças. Fiquei muito estasiado com o concerto dos embaixadores, o mesmo só ocorreu quando passei 5 horas dançando e chorando ao som de Zezo, lá no salão do Centro Comunitário do Recanto do Bosque. Pois bem, tudo estava dentro dos conformes, com alguns projetos sendo fechados para um futuro próximo, discussões sobre a melhoria da cena em aspectos de consciência do público, melhoria dos locais, dos eventos e surgimento de bandas. Conversa vai, conversa vem e Júlio, o Marcelo Camelo dessas terras centrais, avisara que o Tirei Zero iria bailar em alguns minutos. Deu até pra ouvir alguns gritinhos de algumas cocotinhas histéricas que estavam ali por perto. Pois bem, fui e vi uma apresentação mais do que elegante, com o Sr. Pedrinho presenteando todos com moshes a lá Ice Blue. Discurso forte, praticamente todos gritando todas as letras da banda de forma bem intensa e Bruno(o filho bastardo do Juninho....hahaha) sendo erguido pelos toscos presentes naquela sauna de forma bem bonita. O desfecho com duas canções do Cólera fizeram o local literalmente dilatar. Hematomas e dores eram vistos em pernas, braços e rostos dos belos ali presentes. Apresentação muito lynda!
Bom, naquela altura minha roupa já estava tomada pelo meu suór e dos demais que compartilharam de forma direta ou não. Psicologicamente eu tinha perdido uns 8 quilos e estava bastante satisfeito em rever amigos de longa data, perambulando por ali. Mas o melhor estava por vir, e o melhor era a enorme espectativa que se criou sobre a apresentação do Discarga(SP) naquela salinha aconchegante. E digo, senhores e senhoras, que apresentação cabulosa do power trio, rapáiz. Minha felicidade em presenciar algo de tão perto foi tamanha que desferi alguns golpes no corpo de Bruno, causando sequelas perdoáveis e compreensíveis por parte do jovial. Toda aquela semana cheia de compromissos, de contas para pagar, de filhos para cuidar e tal, deu lugar para uma libertação orquestrada ao som dos paulistas. Apresentação épica, literalmente acima de minhas espectativas, observando de perto a emoção e o brilho no olhar de cada um que ali estava, suando, gritando ao som do hardcore. Presepadas? Ocorrem, sempre houveram, ainda mais no Old, então se não houver uma certa compreensão de que o lugar é pequeno e que esbarrões acontecem, o melhor é ficar em casa e assistir algum filme cult francês, certo? Tirando esse detalhe, foi com certeza o melhor concerto que vi na Rua 24, pelos(as) amigos(as), pelo discurso, pela noite e pela cerveja geladinha/caldo de frango que eu degustei de forma bem peculiar. A certeza de que esses lugares, com pessoas simples, sem frescura, com idéias bem relevantes são os melhores lugares para estar, confirma a cada rolê, a cada pessoa nova que eu conheço, a cada olhar sincero que presencio em joviais sufocados por uma sociedade que cobra postura compatível com o sistema e tal. Certo é que se você não foi por um motivo irrelevante, a certeza é que tu perdeu muita coisa e que quem ali estava teve a certeza de que as coisas podem acontecer sem dinheiro, mas com muita dedicação e organização. Aos organizadores agradeço pela noite memorável, aos amigos e amigas pelas conversas agradáveis e aos cuzões fica um aviso de que hardcore não é lugar para socos, retalhações bestas ou algo do tipo. Um ponto negativo desse evento foi a minha lesura em esquecer de levar um mp3 para tocar os clássicos bregas de Adelino Nascimento, Julio Nascimento, Osvaldo Bezerra, Zezo, Raimundo Soldado e Cristiano Neves. No mais, foi muito lyndo e que venham mais desses!Beijo no coração, amados(as)!


Quase todas as fotos por:http://twitter.com/#%21/Luerisonx

21.3.11

Hammurabi - The Extinction Root



Hammurabi é uma banda de Thrash/Death Metal oriunda Belo Horizonte-MG. Ativa desde 2006, os bonitos tiveram como espelho bandas do naipe de Sepultura e Sarcófago para seguir seu trilho dentro da cena metal nacional. "The Extinction Root" é o mais recente trabalho da banda, soltado pelo lendário selo/gravadora Cogumelo Records. O disco recebido em minhas mãos e enviado pelo batera da banda, Crislei Rodrigo, é um registro muito técnico, pesado e que aborda nas letras a decadência do ser humano, passando ao tosco ouvinte a mensagem de que toda a desgraça em que o mundo se encontra é causada pelo próprio homem. Pode-se dizer sem erro que este é um excelente disco de metal, destacando as faixas "The Extinction Root", "Highway Of Death"(referência clara à BR 381, rodovia que corta o estado de Minas e é considerada a mais assassina desse lindo país.) e "Blessed by Hate"(que ganhou uma versão em vídeo-clipe, muito bem elaborado). Enfim, se tu é apreciador do estilo desde daquela época da escola estadual em que você ficava mais na sala da coordenação do que propriamente na sala de aula por conta das "artes" que fazia, que ia desde cagar e esfregar nas paredes do banheiro até roubar a merenda que vinha naquelas vasilhas azuis do MEC do gordinho oprimido só pra fazer guerra de arroz com carne de sol com os demais demônios, companheiros da desordem juvenil da época, pois bem, esse som, caro headbanger de calça colada, irá trazer uma nostalgia muito boa pra ti, ouça e não chore! Beijo no coração!

Clipe da música "Blessed By Hate"




Myspace: Hammurabi

Download:
Hammurabi - The Extinction Root

18.3.11

Elasticdeath - Terceiro Impacto(demo 2010)





Tu gosta de som rápido? Stage Dives e afins são fatos corriqueiros em sua enaltecida e decadente vida hardcoreana? Então você vai passar mal, bater com a cabeça na parede, vai jogar gato em rede elétrica e tudo mais quando ouvir o som dos cariocas do Elasticdeath. Os lindos fazem uma perfeita mistureba de powerviolence, thrashcore e super heróis toscos japoneses. Juntos desde 2008 espalhando a harmoniosa música rápida, essa rapaziada desconjunta qualquer mente pura despreparada que deparar com a suavidade sonora que os bonitos fazem. "Terceiro Impacto" é uma demo da banda soltada ano passado, contendo 10 lindíssimas cantigas, destilando a mistureba que citei anteriormente e com umas pegadas crossover/hardcore bem oldschool, fazendo você lembrar da época em que ia de carona com caminhoneiro "rebitado" pra Brasília-DF e entorno para ver shows de rock e que ficava com o miolo do agregador na mão quando passava na lendária(e sanguinária...) 7 curvas da BR 060, implorando para o cultivador de calo na barriga ir com o maior cuidado do mundo. Enquanto isso, o motora com sua camisa levemente desabotoada mostrando o peito cabeludo, suado e exalando o inconfundível cheiro das axilas seguia a viagem ouvindo o hino dos filadores de bóia "Caminhoneiro", interpretada pelo Rei Roberto Carlos e nem dava moral para sua enorme aflição... Sei que desceu lágrimas desses seus olhos de remela agora que tu leu este relato, então ouça o som desses cariocas lindos, revendo seu álbum de fotografias do final da década de 80 e começo dos 90, período em que você tinha cabelo grande e usava jaqueta jeans com desenho do Ed nas costas...

Myspace: Elasticdeath

Download:
Elasticdeath - Terceiro Impacto(demo 2010)

16.3.11

Change Your Life - Vita Detestabilis(2010)




Hardcore dançante com fortes pitadas de powerviolence, é o que tu vai encontrar quando ouvir o som dos gaúchos do Change Your Life. Banda formada em meados de 2009, a rapidez com que os joviais conduzem suas cantigas que mal passam de 1 minuto é algo que impressiona até aquele apreciador de bossa nova usador de chinelas de couro. Influências são várias, mas pode-se dizer que é uma mescla de Spazz, Apathetic Ronald Mcdonald, La Revancha, Charles Bronson, Cripple Bastards e tal, mas com a própria originalidade dos bonitos. A galhere possui um registro intitulado "Vita Detestabilis", soltada ano passado, contendo 10 melodias megarápidas com letras positivas e de protesto. Se você é daqueles que tem a difícil tarefa de sobreviver nesse mundão na base de fretar mudanças de pobre, não aguenta mais ter que levar um colchão furado, um sofá cujo os "pés" são feitos de resto de tijolos e um vira-lata que atende pelo nome de Janjão...ouça o som desses engenheiros do som fast e veja que a sua tosca vida ainda pode ter um sentido bom. Beijão no coração!

Disco postado ao som de "Lambada do piriri" do excelente e inesquecível Carlos Santos.


Myspace: Change Your Life

Download:
Change Your Life - Vita Detestabilis(2010)

14.3.11

Overcome - Campo de Batalha - EP(2011) - Parte 1



Uma garota e três rapazes. Quatro joviais oriundos daqui, da linda Goiânia. Juntos, essa galhere formam o Overcome, banda que está na ativa desde 2008, misturando hardcore e metal de uma maneira bem agressiva e coesa. Os lindos são da nova safra da cena daqui da capital, fazendo um som com fortes influências de bandas como Sick Of It All, Suicidal Tendencies, Terror e demais conjuntos desse naipe e tal. Nesse ano de 2011 os bonitos soltaram a primeira parte do EP da banda, intitulado "Campo de Batalha" e que logo menos ganhará versão física, lançado pelo Segundo da Two Beers. Essa primeira parte contém 4 sons que mostram todo o peso dos diplomatas, Markin(Bateria), Thiaguin(Baixo) e M. Henrique(Guitarra) fazem da melhor forma possível a junção do metal com o hardcore, deixando para a pequena Amanda Mandie a responsabilidade de esbravejar nos vocais. E mano, que brutalidade essa mina possui ao colocar seu gutural pra fora, é uma mistura de ira, desprezo e ódio(ao menos pra mim...), algo que impressiona marmanjos e cocotinhas que já tiveram a oportunidade de presenciar alguma apresentação desses bacharéis do som pesado. Esse som agrada desde o tosco e seboso hardcore usador de patches em bermudas propositalmente rasgadas até aquele gordo que gosta de metalcore e que usa aqueles ridículos alargadores estilo bambolê ou estilo peça de futebol de botão no ouvidor. Não agradará você, sentimentalista indie apreciador dos Novos Baianos e frequentador dos shows do Fernando Perillo. Ouçam!


Myspace: Overcome

Download:
Overcome - Campo de Batalha - EP(2011) - Parte 1

13.3.11

Kriegstanz & I Shot Cyrus - Split 7"(2005)






Kriegstanz é da Holanda. I Shot Cyrus, finada de São Paulo. Simplismente lindo, sem mais.


Myspace: I Shot Cyrus

Download:
Kriegstanz & I Shot Cyrus - Split 7"(2005)

Defy & Risposta - Split(2010)





Então mano, splitzinho é sempre bom né? E esse aqui reúne os educados do Risposta, banda da República Tcheca e os sebosos paulistas do Defy. São 3 músicas para os tchecos e 2 para os lindos "crustzêros" da cidade cinza. Pra quem ainda não conhece o Defy, os lindos vomitam um crust dos mais sujos e horrendos(e apaixonante...) que eu já ouvi e presenciei. Apresentações épicas no Terror Fest(DF) e no Punx Not Profits(GO) fizeram uma pá de nêgo daqui da cidade a criarem o tosco hábito de cultivar os cerôtes(macuco) formados nas dobras do pescoço, pernas, braços e tal, por conta da falta de higiene, característica bem marcante do estilo. Quem estava no Old naquela tarde/noite irá lembrar da mistura agradável de odores que ocorreu na apresentação dos diplomatas. Enfim, o play é desgraçado de foda, sendo uma importante moeda de troca para eventuais programas que tu venha fazer com as donzelas do nosso querido e amado DERGO. Ouçam, cambada de catimbozêro!


Myspace: Defy

Download:
Defy & Risposta - Split(2010)

11.3.11

Desmadre - Hardcore Guarulhos(demo 2011)




Material enviado é material postado, essa é a regra por aqui. Então vamos lá, Desmadre é uma banda formada em meados de 2010 na cidade de Guarulhos-SP com a idéia de espalhar o hardcore latino-amreicano feito de forma simples e direta, seguindo a linha hardcore crew life. Os joviais abordam em suas letras temas variados e que não ficam presos ao clichê do estilo. Se você é simpantizante da onda NYHC, os bonitos seguem essa linha com estilo bem original e que irá agradar ao seu gosto mais íntimo(hummm...). Nesse ano, a rapaziada soltaram sua 1ª demo, intitulada "Hardcore Guarulhos" e que contém 5 músicas com uma sonoridade bem agressiva e pesada. Se tu é desses que passa a semana capinando lote, descendo areia de carroça e que nas horas de folga adora dividir marmita e prosear com garis da Comurg, ouça o som dos lindos e entenda mais sobre as coisas que giram em torno de ti. É bom também ouvir o som dos diplomatas comendo farinha de puba com café. Beijo no coração!


Myspace: Desmadre

Download:
Desmadre - Hardcore Guarulhos(demo 2011)

9.3.11

Charlie Chaplin - Toques Cínicos(EP)





Banda formada em meados de 2006 na cidade de Salvador-BA, Charlie Chaplin tira um som que é uma mescla de punk, ska/reggae e rock alternativo. Quando eu ouvi o som dos lindos, notei uma nítida influência do hardcore melódico nacional feito no meio da década de 90, tipo, os primeiros sons do Dance Of Days em português e tal, há uma influência bem clara nas melodias e vocais. "Toques Cínicos" é um EP dos joviais e que contém 7 cantigas que mostram toda a intensidade que os diplomatas passam através das canções e letras. Você que é sXe e não sabe se portar em eventos não relacionados com sua ideologia, pedindo para que toscos se retirem dos locais por conta de bebida alcoólica e cigarros, entenda que você não está em um espaço exclusivo seu e que a tolerância é algo que o hardcore prega e que certos tipos ainda insistem em não entender. Ouça o som dos lindos, será de seu agrado, saca as letras e tente ser um pouco menos idiota, recriminando atos de pessoas alheias em eventos livres de dogmas, entendo que a união de uma cena parte inicialmente de um respeito, eu entendo a sua posição em não usar isso ou aquilo e você entende que eu irei fumar, beber... em ambientes que não tem restrição para tal, certo? Beijo no coração.


Myspace: Charlie Chaplin

Download:
Charlie Chaplin - Toques Cínicos(EP)

8.3.11

B.U.S.H.(Futuro) - São Paulo(2007)




É som pra você deixar a bilôla dormente. Digo isso, pois o som feito pela banda paulista B.U.S.H.(que agora se chama Futuro...) é um coice de manga larga na sua fuça tosca. "São Paulo", álbum de 2007 é lindo, elegante, joiado do começo ao fim. Kalota esbraveja letras que representam uma pá de nêgo "zero à esquerda" do sistema com sua voz característica em melodias lindamente punks, harmoniosamente dançantes e intencionalmente contra-culturais. Os anseios, lutas ou revoltas podem sim serem cantadas de forma mais "suaves" sem deixar de serem agressivas. E os lindos mostram isso em 8 cantigas arrebatadoras, tornando o disco um clássico da juventude tosca moderna. O registro em questão é um alento pra você que por algum conflito interno não superado resolveu torcer para o Vyla Nova e sempre acredita que um dia terá alegrias com esse ensaio mal elaborado de time de futebol aqui da capital. Que disco bonito da peste, rapáiz!Ouçam!


Myspace: B.U.S.H.(Futuro)

Download:
B.U.S.H.(Futuro) - São Paulo(2007)

6.3.11

Deadly Curse - Renegade(2009)





Deadly Curse é uma banda de Death/Thrash Metal formada lá nos perdidos de 2005 aqui na nossa linda e querida capital, Goiânia. Agressividade, qualidade e estilo próprio são as principais qualidades dos joviais. Eu já meio que curtia o som da galhere, apesar de nunca ter visto um concerto dos lindos e semana passada peguei o disco "Renegade", lançado em 2009 em um tópico da comunidade do órkut. A qualidade das músicas, estruturas, riffs, bateria e principalmente o vocal me impressionou muito(tirando as passagens mélodicas do vocal e tal, que não é de meu agrado...), Thiago Andrade tem o dom da vociferação bem entendida. Elementos melódicos bem inseridos nas canções dão ao ouvinte aquela sensação de estar no mundo de Nárnia e tal. O disco contém 9 músicas que tiram o folêgo de qualquer "triatleta" que segue os trilhos do mestre Tim Maia. O disco como um todo é muito bom e o destaque(pelo menos pra mim...) vai para as músicas "Self Destruction", "All My Pain", "Illusions" e "Hate And Anger". Bom, se você faz o curso de Ciência da Computação, é um headbanger limpo, viciado em jogos de RPG e tal, o som da galhere irá lhe agradar da melhor forma possível. É passar base nas unhas, colocar aquela eterna camiseta do Megadeth e ir pro bar da tia beber cerveja sozinho ouvindo o som dos bacharéis no pitoco do seu mp3. Qualidade sem fim o som dos meninos!


Myspace: Deadly Curse

Download:
Deadly Curse - Renegade(2009)

3.3.11

Você é hardcore?






É o seguinte galhere, a partir de hoje esse espaço do blog será tomado por textos que irão abordar temas como a cena local, público, atitude, consciência e tal, tudo baseado nos princípios que o hardcore ensinou e que andam esquecidos por uma boa parte da galera. Existe aqui uma clara intenção de instigar a sua mente e colocá-la em pleno funcionamento(ou não...).
Pra começar, é sabido que de uns tempos pra cá a cena hardcore goiana anda bem movimentada, com shows interessantes acontecendo semanalmente, bandas de outros estados fazendo um intercâmbio legal aqui na cidade, tudo isso contribuindo para o fortalecimento da dita cena. O público por sua vez, ainda é a principal chave da questão nesse ponto. Pois vamos partir do pressuposto de que hoje só temos um local na cidade para a realização de eventos desse naipe por aqui. Ainda que seja a única opção viável para a realização de shows atualmente na cidade, o mesmo está bem longe de ser o ideal, pois é muito fácil de ver cerca de 30 pessoas se debatendo em uma pequena, quente e apertada sala de estúdio, enquanto cerca de 100 ou mais cabeças ficam a par da situação, bebendo a sua catuaba na porta, desfilando camiseta de bandas que eles nem sabem de onde vem e qual a mensagem que passa e o pior de tudo, aceitam com muita passividade. Penso que já passou da hora dessa galhere parar um pouco de fumar maconha na mansão do amigo, ir para a porta dos shows com o audi do papai, pagar de hardcore, de verdadeiro underground e se inteirar verdadeiramente no "movimento", lutando para que mais espaços apareçam e tal. Outro fator importante seria a descentralização do locais, voltando lá nos primórdios do punk/hardcore, começando a realizar eventos nas periferias da capital, dando voz para aqueles que quase nunca tiveram.
Enfim, a idéia que quero passar é de que vocês, lindinhas "marias bandeiras" que vão nos eventos simplismente com a intenção de liberar o miolo do agregador para os integrantes de bandas pelo simples status, devem agregar mais para a cena montando bandas, organizando eventos e colocando suas reais idéias pra fora para que todos saibam o que vocês realmente pensam e que vocês playboys que andam com camisetas do Municipal Waste e terminam a noite na pastelaria achando os bam-bam-bams, que passem a entender que vocês são muito mais que números na cena, mais que meros compradores de merchans de bandas, pois a cena goiana está precisando de menos visual e de mais atitude, de pessoas que agregam valores, que reivindicam seus reais direitos, sejam eles na música ou não, pois no dia seguinte você volta a ser mais um capacho do sistema, enfrentando ônibus lotado, patrão racista e aceitando tudo com um conformismo que assusta. A idéia é de que temos que deixar o status um pouco de lado, o homem poser que existe dentro de você e que tu utilize a autogestão incrustada em suas raízes da forma mais coerente e certa possível em prol não só da cena mas também da comunidade em que você convive, pois você não vive sem o hardcore, mas o hardcore vive facilmente sem você. Pense nisso, jovial. Beijo no coração, lindos(as).

Obs.: A foto em questão só demonstra que a realidade é muito mais do que uma bandana na cabeça ou uma tatto descolada na batata da perna.

2.3.11

Dominatrix







Dias desses passados, estava eu mexendo no twitter do blog pra ver se tinha algum recado e eis que vi uma dica enviada pelo diplomata Guga Valente de uma banda que ouvi muito quando tinha os meus 14/15 anos. Falo da banda paulista feminina/feminista Dominatrix. Puta de la madre joviais, o elemento havia me mandado o mais recente trabalho das meninas, o "Quem Defende Pra Calar", EP de 2009, não conhecia e para minha surpresa as meninas estavam/estão cantando em português e veio uma nostalgia na mente bem na hora que comecei a ouvir o som. Tipo, "Girl Gathering" veio com toda a força em minha lembrança, das vezes que eu chegava da escola com fome e nem almoçava, ia primeiro ouvir o som das riot grrrls, enquanto minha mãe enchia o saco para que eu desligasse o som e fosse rangar vendo o Goiânia Urgente. Músicas como "My New Gun", "No Make Up Tips", "Patriarcal Laws", "Close Enough To Jump" eram minha favoritas...Aprendi muito sobre feminismo, homofobia, tolerância, respeito e tal. Acompanhei o som da banda até o "Beaville", que por sinal é lindíssimo do começo ao fim e é o meu preferido, ao lado do "Girl Gathering". Bom, deixarei disponíveis alguns registros, entre demos e fulls, da discografia da banda. Sei lá, se tu é machista, preconceituoso, intolerante e tal, perca seu tempo por aqui não, tem milhares de páginas na internét que irão lhe agradar mais, essa não, com toda a certeza! Beijo no coração, lindos(as)!


Myspace: Dominatrix


Dominatrix - Little Grrrls - Demo(1996)
Download:
Dominatrix - Little Grrrls - Demo(1996)

Dominatrix - March 8 - Demo(1997)
Download:
Dominatrix - March 8 - Demo(1997)

Dominatrix - Girl Gathering(1997)
Download
Dominatrix - Girl Gathering(1997)

Dominatrix - Self Delight(1998)
Download:
Dominatrix - Self Delight(1998)

Dominatrix - Beauville(2003)
Download:
Dominatrix - Beauville(2003)

Dominatrix - Quem Defende Pra Calar - EP(2009)

1.3.11

Tremä - A Um Passo Do Abismo Que Finge Não Enxergar(2008)





Então, mais uma vez estou aqui pra falar dos paulistas do Tremä. Se tu leu alguns posts anteriores, tu sabe que os lindos são lá de São José do Rio Preto-SP, se tu não deu uma espiada, agora está situado. Pois bem, um dos bonitos, o Alessandro, me mandou outro registro da galhere para uma degustação rica e elegante. O disco em questão é "A Um Passo Do Abismo Que Finge Não Enxergar", datado de 2008 e que contém 7 cantigas que duram cerca de 1 minuto(característica dos joviais). Posso dizer, o play é lindão, pende muito pro hardcore oldschool feito por bandas como Youth Of Today, Minor Threat, com fortes pitadas de powerviolence nas melodias. Letras fodas, capa linda e o som te dá a certeza de que as namoradas que você perdeu por conta de seu envolvimento com esse tipo de som da besta-fera, as inúmeras pisas de vara de marmelo que você levou da mãe por chegar tarde em casa sem avisar, do seu fracasso no ensino fundamental, isso tudo não foi em vão, pois hoje você é o mesmo cara tosco que não gosta de tomar banho, continua pegando as cocotinhas da cena, sua mãe tem orgulho de você ter virado um homem responsável e hoje em dia você tira o seu sustento dando aulas para satanistas de colégios particulares. Rapaz, o som dessa banda é massa demais!!!

Disco postado ao som de "Mulher Sem Dono" do eterno cantor "sóbrio" Adelino Nascimento


Myspace: Tremä

Download:
Tremä - A Um Passo Do Abismo Que Finge Não Enxergar(2008)