ALZHEIMER PODCAST

pra esquecer das coisas ruins, pra lembrar das coisas boas

MARY O AND THE PINK FLAMINGOS

Surf-punk psicodélico do jeito que diabo gosta

PAQUETÁ

O fino do surf music underground

25.2.14

Demônio de Garoa, Axl Rose do Cerrado & Hardcore de Lavar a Alma

Olar galera doida que deterioram as vistas lendo as imundices digitadas aqui neste tosco espaço da cantiga subterrânea nacional, como de costume sempre que rola algum forró do gerso aqui nesta arborizada capital goiana eu tento relatar as visões do quengal e de todos os acontecimentos que giram em torno de minha pessoa.
Bom, era sábado, dia de descanso das obrigações mas não das diversões, e como no dia anterior eu tinha marcado com um pequeno número de amizades para uma rodada de bebida, hamburgada e som de vinil, o esquema foi concretizando logo após o almoço, depois de uma infame chuva que despencou em Goiânia e que quase estragou o rolê da galera sem jura. Passei no hipermercado, comprei os ingredientes e fui para o QG localizado nas imediações do famoso acidente do Césio 137, só por aí a emoção já deixava a veia do pescoço estufada. Muito papo bom sobre música, audições em bolachas analógicas que passavam por Tim Maia, Cartola até chegar em Rage Against The Machine e Eddie Grant. Hambúrguer caseiro da melhor qualidade que deixou todos arregados, cerveja gelada calibrando os bonitos e por fim já estava escuro e era hora de ir de encontro ao Martim Cererê.
Com a chuva fina e constante e quase uma semana sem meu corpo chegar perto do chuveiro, minha envergadura virou uma mistura fedida de merda seca e macuco molhado.
Adentrei no templo rockista goiano e chegara a información de que o conjunto idoso de hardcore Ímpeto já havia bailado. Imaginei o show repleto de adolescentes alvos com camisolas de Legião Urbana, Raul Seixas, Guns n Roses, Avengend Sevenfold, Radicais Livres e afins, histéricos com a performance de seus nobres professores (lembrando que a banda ganhou uma votação feita pela organizadora do evento em que  centenas de alunos votaram na banda, e que eu tenho a plena certeza de que 99% destes que buzinaram com o mouse não sabem sequer o significado da palavrita Ímpeto).
Encontrei muita gente pra conversar, e por alguns instantes me senti como um papagaio na chuva, conversando mais que o homem da cobra. Tá, dei uma pausa na lábia de malandro e fui degustar da bebida alcoólica do local, e sem viajar na onda do pinóquio, minha carteira incrivelmente começou a descer rios de lágrimas ao enxergar uma latita de kaiser sendo vendida por 4 malandros e a heineken por 5 pilas. Fui na kriptonita por ter mais
álcool e achar que o preço era menos injusto. Passado o déficit do ordenado, chegou aos meus ouvidos que a banda Baba de Sheeva iria subir aos palcos, e eu com algum lapso e resguardando a minha luta contra uma gripe infernal, preferi ficar ouvindo alguma coisa dos cabras do lado de fora do teatro. Este período serviu para que eu ficasse observando o público, que entre sebosãns e molecada com visual de pique nique no vaca brava, avistei um raparigo que deveria ter uns 50 anos, epiderme enrugada bem parecida com pele de patinha de arara e um majestoso visual de Axl Rose da atualidade (só que coado com meia calça), isto por si só já valeu todo o rolê imundo que eu programara uma semana antes.
Lá de dentro do teatro (quente e fedendo catinga de gente sebosa) saía alguns acordes e era a vez do hardcore melódico da goianiense Coerência. Bom, eu estava muito curioso pra ver a formação nova, e a primeira impressão que ficou é de estranhamento por um vocal diferente, tonalidade de guitarra também foi uma novidade e a bateria com uma pegada mais seca. Era a primeira apresentação dos cabras com a nova formação, e tirando o nervosismo natural de uma inédita apresentação, gostei do que vi e acho que a banda ainda tem uma boa caminhada a percorrer, fazendo sempre o corre honesto e sincero, com alguns ajustes e entrosamento natural com o passar do tempo. 
Ligeiramente corri até as redondezas do local pra pegar um capacete de obra que havia tomado de empréstimo com Lindosmauro, peão da Moreira Ortence que bate ponto todos os dias no boteco Pepe Legal, localizado nas imediações da Vila Viana. Peguei o apetrecho
pois estava na hora da Ressonância Mórfica subir ao palco e mostrar o grindcore mais brutal feito no Centro-Oeste. E meu amigo, que apresentação violenta, quebrei o EPI (Equipamento de Proteção Individual) em pedaços e senti na pele o que representa um acidente de trabalho. Se a banda de cantiga extrema fosse do eixo sudeste ou de algum esquema de Brasília, com certeza as atenções por aqui seriam mais valorizadas. No show, além das músicas próprias como as conhecidas "Teratismo" e "Dergo Death Grind" que fizeram a negada rodopiar com os cascos de suas moleras no chão, uma linda e cabulosa homenagem ao Napalm Death foi feita através da cantiga Unchallenged Hate e que fez alguns dos muitos presentes marejarem os olhos de lágrimas. Marcão sempre se destacando com o seu gutural tratado com casca de romã e danças que parecem que o cabra tá afastando o povo pra entrar dentro do ônibus em ponto lotado de terminal. Até então tinha sido o fato mais foda da noite, além claro, de uma jovial que conseguiu aplicar todo o seu gorfo acumulado do dia na perna de outra garota, perfumando o ambiente e aprimorando o odor que já estava forte dentro do teatro.
Mais papos, mais cervejas, muita gente bonita, idas infames ao toalete seboso e alagado de mijo podre, e numa dessas subidas ao wc topei com o Jão e o cumprimentei como se o cabra fosse meu amigo de miliano, bebura inconsequente que já afetava o meu consciente. Voltei pro ambiente externo que estava cheio, mas que poucos queriam me beirar por conta do forte odor de catinga de bosta impregnado em minha roupa. 
Com muita dificuldade entrei no teatro, pois estava na hora da principal banda da noite bailar de forma rápida, era a paulista e lendária Ratos de Porão, num calor infernal e uma expectativa enorme. Entre vários clássicos tocados, a banda abriu com "Igreja Universal", passando por Mad Society, Suposicollor, Sofrer, Crocodila, Amazônia Nunca Mais e alguns
covers e outros clássicos. Pulei, suei, gritei, fiquei pelado, caguei e joguei tolête no povo, entrei na roda e fiquei completamente podre e esgotado com um dos melhores shows do Ratos que eu vi. Tirando algumas partes de discurso desnecessário do Gordo e do megastar-homem-limpo Juninho chutando a galera que estava ali pra pogar e se divertir, a apresentação foi bem foda e emocionante. Ver, ouvir e gritar hardcore é meio que exalar todos os problemas da semana que passa pelas frustrações de empregos ruins, ônibus superlotados e polícia que oprime de forma violenta/preconceituosa. Toda essa problemática é esquecida e a amizade, revolta e resistência ganha vida e espaço.
Quanto a organização, não tive muitos problemas então não posso falar mal, apenas achei que poderia ter alguns banheiros químicos à disposição e que o preço da cerveja estava cara, mas é aquilo, pisou fora de casa é ter consciência que os preços da diversão não serão agradáveis, por isso que entrei com ampolas de cana no ânus, pra burlar a lei do baculejo do segurança e consequentemente consumir menos cerveja no ambiente. Voltei feliz, com o corpo doído e sem voz para a minha querida residência. Rolê firmeza, obrigada por todas que me proporcionaram este dia inesquecível!


Fotos roubadas do sítio Cigarro & Paçoca

Galinha Preta - Galinha Preta (2012)


Galinha Preta é uma banda de cantigas críticas, engraçadas, rápidas e tem como frontman um dos cabras mais ilustres do subterrâneo sonoro nacional, o Frango. Neste disco de 2012 são 16 cantigas, sempre com o mesmo esquema de sempre, letras curtas, engraçadas e grudentas. Considero a banda como daquelas que fazem a pessoa iniciar dentro do underground e se você ainda não viu uma apresentação destes doidos, veja, pois é no mínimo diferente de muita coisa que você já viu. Banda responsável por entortar a mente de muita molecada com tendências fortes de desvio de conduta. Ouça!

Perfil da banda: Galinha Preta

Download:

21.2.14

Ressonância Mórfica - Teratismo / Dergo Death Grind (Live Sessions Weekend)



Há alguns dias atrás saiu uma Live Seesions da banda Ressonância Mórfica. O vídeo mostra o quarteto Marcos Campos (voz), Luiz Souza (guitarra), Hemar Messias (baixo) e Weyner Henrique (bateria) bailando o melhor do grindcore nacional em duas cantigas, as cabulosas "Teratismo" e "Dergo Death Grind". O vídeo foi gravado no Coruja Estúdio pela VIBE Vídeo Estúdio. Confira essa lindeza da gota serena do Centro-Oeste!

Página da banda: Ressonância Mórfica



Banda Valdez disponibiliza duas músicas



A banda de Taguatinga/DF Valdez disponibilizou no final do ano passado dois single de forma virtual. As cantigas "Fuzzi" e Endorfina" podem ser ouvidas no soundcloud da banda.


A banda também disponibilizou as músicas para download, pra descarregar clique neste link.
 Lembrando que a banda faz uma boa mistura de rock de garagem e o punk. Ouçam!

Página da banda: Valdez

19.2.14

MOB 47 (SUE) PELA PRIMEIRA VEZ NO BRASIL


Clash Club, Bucho Discos e Cospe Fogo Gravações apresentam:

MOB 47 (suécia)
Lenda do hardcore sueco desde 1982!
Mais de 30 anos de barulho, pela primeira vez no Brasil! Hardcore Attack!

CONQUEST FOR DEATH (eua)
Pela segunda passagem pelo Brasil, banda remanescente do What Happens Next? e All You Can Eat. Unico show em São Paulo.

ROT
Os mestres do grindcore brasileiro de volta aos palcos

ARMAGEDOM
Comemorando 30 anos de banda, show com participações especiais


Dia 02 de maio (Sexta-Feira) - 18h00

Ingressos:
R$ 25 antecipados (venda a partir do dia 15/03)
R$ 30 na porta

Locais de Venda:
Galeria do Rock - Loja 255 (Rua 24 de Maio, 62 - 3361-6951)

ABC - Loja Ratus
(Rua Dona Elisa Flaquer n°286 - 11 4990-5163)

Rock'n'Roll Burger
(Rua Augusta, 538 - 3255-0351)

*50 primeiras pessoas a entrar na casa ganham cd da cospe fogo gravações


Link do evento: https://www.facebook.com/events/284778495012998/?fref=ts

Sociopata - Sociopata (2013)



Sociopata é uma banda que surgiu em meados de 2008 nas cidades de Agudos / Bauru (São Paulo). Com a atual formação sendo composta por Kleber Cabrera (voz), Thiago Brava (guitarra), Leo Sanches (guitarra), Birão Spoldari (baixo) e Gustavo Panurge (bateria), a banda soltou no ano passado o seu primeiro álbum que conta com 3 cantigas que mesclam o metal, thrash metal, hardcore e rock progressivo. Pegada densa, letras em português que falam das mazelas da sociedade e do esfriamento das relações humanas. Gravado de forma indepedente o disco se destaca pela qualidade das gravações e composições, pelos bons riffs, pela sonoridade original e autêntica e pela proposta de levar um som crítico e bem feito para o público. A música "Crianças" merece uma atenção especial daquele que for ouvir o material, que vale ressaltar, possui um projeto gráfico bem legal de encarte e arte de capa bem destacada. Banda massa, ouçam e conheçam!

Página da banda: Sociopata

Sítio da banda: Sociopata

Ouça o disco da banda Sociopata aqui:

18.2.14

HEINEKEN MONSTRO ROCKS #01 - RATOS DE PORÃO EM GOIÂNIA

HEINEKEN MONSTRO ROCKS #01 APRESENTA:

Kamura

Data: 22 de fevereiro (Sábado)
Horário: 19 horas
Valor: R$ 20,00 (Antecipado) / R$ 25,00 (Portaria)
Local: Centro Cultural Martim Cererê (Rua 94 A, Setor Sul - Goiânia)

Pontos de venda:
Calango Street Wear 
Detroit Steakhouse
Hocus Pocus
Harmonia
Tribo / Velvet 36




13.2.14

CARNNABIS ROCK - 28/02 - DCE UFG (GOIÂNIA)



Não suporta mais desfiles de carnaval na televisão? Vem ai Carnnabis Rock!

Carnnabis Rock é, primeiramente, um evento de rock criado para acabar com aquela velha história de desfiles, mídia e chorumelas. Mostrando que cada um aproveita o feriado e se diverte da forma que gosta e acha conveniente. Destinado a todos aqueles que querem fortalecer a cena local e começar o carnaval curtindo um rock com os amigos, tomando umas e o melhor de tudo, gastando pouco. 

- ACÉFALOS
- MK ULTRA
- ENTRE OS DENTES
- MxCxPx – MISSA DE CORPO PRESENTE
- DESCARGA NEGATIVA
- SOCIOFOBIA
- OS CANALHAS


LOCAL: DCE DA UFG.
VALOR DA ENTRADA: 5 REAIS ATÉ AS 23:00.
(APOS ESSE HORÁRIO O VALOR DA ENTRADA SERÁ 10 REAIS.)

LINK DO EVENTO: https://www.facebook.com/events/1402024816713795/

OLHO SECO EM GOIÂNIA 2014


Ao que tudo indica a lendária banda Olho Seco passará novamente por Goiânia. Em agenda divulgada pela banda existe uma data reservada para o dia 31 de maio deste ano para um baile punk na cidade. Agora é aguardar para mais detalhes deste show.


Confira alguns vídeos da passagem da banda pela cidade em 2011






Pastel de Miolos - Da Escravidão ao Salário Mínimo (2010)




Este disco chegou em minhas sebosas mãos através de uma linda cortesia da Brechó Discos, demorei pra resenhar por pura leseira, mas antes tarde do que nunca (velho ditado clichê que perambula na boca dente avoada) pra falar desta obra prima do punk rock nacional. A banda em questão é a lendária baiana Pastel de Miolos, desde 1995 na resistência sonora, com uma longa e honrosa caminhada dentro do underground nacional, atualmente em power trio formado por Alisson Lima (vocal / guitarra), Alex (vocal / baixo) e Wilson Santana (bateria). "Da Escravidão ao Salário Mínimo" é um lançamento de 2010 e apresenta a banda em sua melhor performance, com produção e mixagem em alto nível. A bolacha conta com 24 cantigas que exploram de forma visceral, coesa e original o punk rock aos moldes antigos com a evolução dos tempos atuais. 
Ao ouvir várias vezes este bonito registro, várias músicas ficaram ali na lembrança e são elas que eu sempre destaco quando resolvo citar cantigas. "Desespero" e "Tapa Na Cara" são rápidas, diretas e pesadas, letras que falam da agonia em ter a vida nas próprias mãos e das lapadas que levamos diariamente do sistema. "Corpos" é melodiosa e remeteu a alguma fase punk oitentista, muita nostalgia e corpo dançante. Um hino punk é o que podemos ouvir em "PDM", cantiga que recebe o nome da banda e que fala das mazelas deste país. "Não Se Engane" fala da falta de liberdade e o refrão / coro fica grudado na caixola e lembra alguma coisa de Misfits. "Ted, Skate & Hardcore" é pra quem usa a rua da melhor forma, anda de skate como estilo de vida e ouve hardcore como uma forma de resistir a essa patifaria que impera nos círculos sociais. "Olho Torto" tem 10 segundos e é o prazo de uma piscada e a cantiga já se encerra. "Moicano" é um recado curto e direto para aqueles que acham que visual é tudo e a atitude vem em segundo plano, ou seja, moicano não faz punk. "Da Escravidão ao Salário Mínimo" é uma das cantigas que mais gostei, mesclando ska com rock, que fala de forma bastante contundente da dependência que o assalariado fica em torno do maldito patrão. "Ruas" é uma música bem trabalhada que fala daqueles que vivem nas calçadas, invisíveis aos olhos da maioria, e aqui vale destacar o solo / refrão que gruda na mente. "Eles" é outra cantiga que fez eu repetir várias vezes, punk rock clássico com uma letra lindíssima, atual para o momento repressivo em que vivemos neste país. "Esperar Sentado" vai para todos aqueles que acham que o mundo não está tão mal assim, até que a bomba exploda em suas mãos. "Opressão" é cadenciada e densa, com uma letra muito forte e bem escrita. O disco fecha de forma brilhante com a cantiga "Depois do Silêncio", densa, pesada e obscura.
"Da Escravidão ao Salário Mínimo" leva o nome de Jera Cravo na produção, mixagem e masterização, Wilson Santana no projeto gráfico e teve a união dos selos Brechó Discos, Big Bross Records, Tamborete e Pisces Records para o lançamento deste lindo registro. Posso dizer que a bolacha é uma obra prima do punk nacional, que irá agradar aos dinossauros e aos mais novos que gostam de música de protesto e baseada nos três acordes. Ouça, compre e indique!


Página da banda: Pastel de Miolos

Ouça o disco aqui:

Compre o disco aqui:

12.2.14

Coleta Anti Seleta #01 (2014)



Depois de muita enrolação e alguns contratempos, a primeira coletânea do blog (ufa!!!) sai do forno para o deleite dxs podres leitores deste sítio. Tive sempre essa ideia e desejo de lançar um material do blog em formato de coletânea, pois foi neste formato específico que pude conhecer inúmeras bandas e poder ir atrás de materiais autorais e coisas do tipo. Neste primeiro número tentei seguir a lógica que gira em torno do blog e coloquei bandas de todas as regiões do país e que estão postada no blog. Entre o crust e o punk, situa-se o melódico e o rock de garagem, passeando entre o grindcore e powerviolence, ou seja, tentei abranger estilos diversos pra virar uma miscelânea sonora de cantiga rápida das boas. Por enquanto o registro será lançado em formato virtual, e num futuro próximo (espero!) esta coleta deverá sair em formato de fanzine/cd totalmente gratuito em tiragem limitada em 100 cópias. A fudida arte de capa da "Coleta Anti Seleta" é uma concepção idealizada pelo mestre Rogério Alves (Art Till Death), e desde sempre agradeço ao cabra pela parceria, confiança e inspiração. O objetivo maior deste registro é o mesmo do blog, divulgar bandas, fortalecer de alguma maneira o faça-você-mesmx e tentar mostrar que novos submundos são possíveis dentro deste falido mundo. Espero que gostem e espalhem. Tosco e sem holofotes, obrigada.

Track List:

01 - Lo-Fi - Cowboy Band
02 - Criaturas de Simbad - Evoluindo Pra Pior
03 - Lei do Kaoz - Igreja Ingericana
04 - Ressonância Mórfica - Plutocracia
05 - Violent Illusion - HxCxTxCx (Hard Core Thrash Crew)
06 - Caos Devasta - Morte na Estrada
07 - Motor City Madness - Dead Man's Hand
08 - Diskontrolly Social - Falso Moralista
09 - Darksiders - Cólera dos deuses
10 - Eu o declaro meu inimigo - Fortaleza de Incertezas
11 - Hediondo - Polícia Não!
12 - Shame - Começo, Meio e Fim
13 - Lomba Raivosa! - Jovem Indomável
14 - Descarga Negativa - Terror Nacionalista
15 - Detrito Acidente - Lixo
16 - Ereção de Elefante - Geração Conformada
17 - Raposa Apaixonada - Alienado
18 - Insvlariz - Black Bike
19 - Crânula - Vale da Morte

Ouça a "Coleta Anti Seleta #01" aqui:

Baixe a Coletânea aqui:

Coleta Anti Seleta #01 (2014)


Depois de muita enrolação e alguns contratempos, a primeira coletânea do blog (ufa!!!) sai do forno para o deleite dxs podres leitores deste sítio. Tive sempre essa ideia e desejo de lançar um material do blog em formato de coletânea, pois foi neste formato específico que pude conhecer inúmeras bandas e poder ir atrás de materiais autorais e coisas do tipo. Neste primeiro número tentei seguir a lógica que gira em torno do blog e coloquei bandas de todas as regiões do país e que estão postada no blog. Entre o crust e o punk, situa-se o melódico e o rock de garagem, passeando entre o grindcore e powerviolence, ou seja, tentei abranger estilos diversos pra virar uma miscelânea sonora de cantiga rápida das boas. Por enquanto o registro será lançado em formato virtual, e num futuro próximo (espero!) esta coleta deverá sair em formato de fanzine/cd totalmente gratuito em tiragem limitada em 100 cópias. A fudida arte de capa da "Coleta Anti Seleta" é uma concepção idealizada pelo mestre Rogério Alves (Art Till Death), e desde sempre agradeço ao cabra pela parceria, confiança e inspiração. O objetivo maior deste registro é o mesmo do blog, divulgar bandas, fortalecer de alguma maneira o faça-você-mesmx e tentar mostrar que novos submundos são possíveis dentro deste falido mundo. Espero que gostem e espalhem. Tosco e sem holofotes, obrigada.

Track List:

01 - Lo-Fi - Cowboy Band
02 - Criaturas de Simbad - Evoluindo Pra Pior
03 - Lei do Kaoz - Igreja Ingericana
04 - Ressonância Mórfica - Plutocracia
05 - Violent Illusion - HxCxTxCx (Hard Core Thrash Crew)
06 - Caos Devasta - Morte na Estrada
07 - Motor City Madness - Dead Man's Hand
08 - Diskontrolly Social - Falso Moralista
09 - Darksiders - Cólera dos deuses
10 - Eu o declaro meu inimigo - Fortaleza de Incertezas
11 - Hediondo - Polícia Não!
12 - Shame - Começo, Meio e Fim
13 - Lomba Raivosa! - Jovem Indomável
14 - Descarga Negativa - Terror Nacionalista
15 - Detrito Acidente - Lixo
16 - Ereção de Elefante - Geração Conformada
17 - Raposa Apaixonada - Alienado
18 - Insvlariz - Black Bike
19 - Crânula - Vale da Morte

Ouça a "Coleta Anti Seleta #01" aqui:

Baixe a Coletânea aqui:

11.2.14

Criaturas de Simbad - Personificação do Mal (2013)




Revirando os arquivos dos computadores da Empreza Licor de Chorume LTDA, após um mandato de busca e apreensão por parte da Polícia Federal que encontraram muita pornografia imunda dos anos 80 em diversos HD's mocozados dentro de alguns criados mudos, os mesmos desistiram da operação após acharem esta singela pasta e perceberam que seriedade na clandestinidade não é o nosso forte, que a raparigagem, safadeza e a falta de compromisso é o que comanda este polo empresarial tosco goianiense. Fui ver e lembrei que tinha baixado este disco no final do ano passado e por conta da leseira de droga barata, esqueci de ouvir e falar algo desta belezura da cantiga rápida nortista. Falo da linda banda de Ananindeua/PA Criaturas de Simbad, que no final do ano disponibilizou o disco "Personificação do Mal" de forma virtual pra negada doida baixar, ouvir e lascar a mente de vez. E eu fui um desses lascados que baixou, ouviu e agora dou o meu triste depoimento através deste seboso sítio de cantiga rápida.
O disco conta com 13 musicólas que mesclam o hardcore com boas pinceladas de thrashcore, e como os próprios cabras da banda dizem, isto aqui é uma espécie de "Pedreiro-Core". A real é que o disco é muito foda do começo ao fim, lindamente executado pelo quarteto xFredericox (vox), Betinho (cordas finas), Irado (cordas grossas) e Izan Billy (olodum), rápido, direto e sem frescuragem de firula doida. Destaque para as cantigas "Curto e Grosso", "Confrontar", Jeitinho Brasileiro", "Mundo Movediço", "Morto" (que música trituradora!!!), "Personificação do Mal", "Canceroso" e a derradeira "Alvo Fácil" (que vem com um grand finale magistral). Vale ainda destacar a energia desgraçada que estes doidos-do-jipe passaram neste registro, das letras que falam dos males cotidianos que este mundo falido nos causa, do vocal "arranca-rabo-de-galo" e da linda arte do disco (capa, contra capa e encarte). Pra você que gosta de sonoridade rápida, espírito DIY, pitadas de humor e região norte, este é o disco!

Página da banda: Criaturas de Simbad


Download:

10.2.14

O Inimigo - Personalidades Plásticas (2013)




Aí está, o mais recente disco da linda banda paulista O Inimigo, "Personalidades Plásticas", para download. Vomitose pura nessa segundona quente em Goiânia e hardcore qualifa pra melhorar a audição de seu ouvidor.

Página da banda: O Inimigo

Ouça o disco aqui:

Baixe o disco aqui:

5.2.14

Zine Whatever - Jajá Félix

Este é um dos zines do incrível ilustrador e marginal Jajá Félix. "Whatever" possui 20 páginas de ilustrações subversivas que mostra um pouco do talento e da mente louca deste bonito raparigo. Entre citações de cantigas, monstros, mulher tatuada desnuda, caveira e coração de estimação, este lindo folheto é um verdadeiro colírio para olhos vermelhos, indispensável para xs amantes do universo fanzineiro. Lá no final deste zine, este nobre cabra cita alguns de seus trampos e colaborações, uma boa chance de saber mais sobre este bom moço que é "mais marginal que qualquer bandido".


Página do cabra: Jajá Félix






Veja o zine "Whatever" aqui:


Aqui você pode comprar o zine "Whatever" e mais alguns trabalhos do Jajá Félix
https://www.facebook.com/jarlanfelixx/app_150178545006427?ref=ts

Coletivo Non Gratxs - Liberte-se #01 (Zine)

Esta é primeira edição do Zine Liberte-se, comandado pelo coletivo feminista Non Gratxs. O fanzine possui 16 páginas e o conteúdo é formado por ilustrações, textos, poesias, indicação de filme e afins, totalmente voltado para a consciência feminista. Autonomia do corpo, combate à violência contra a mulher, resistência e subversão é o que você encontra neste folheto bem elaborado e bastante informativo.











Veja o Zine "Liberte-se" aqui:

Hediondo - Demo (2013)


Eis aqui mais uma raparigagem sonora das boas vinda da nossa querida Belém/PA. A banda da vez é conhecida pela graça de Hediondo e faz uma trituragem-doida que mistura os nobres subgêneros da anti-música rápida que são o grindcore e noise core com boas fortalecidas energéticas através do açaí com farinha. O conjunto é formado pelos cabras Jean (voz), Raymi (voz), Sidney (guitarra) e Feroz (bateria) e no ano que passou-se estes exemplares joviais nortistas soltaram uma demo que conta com 12 rapidinhas e safadas cantigas. Introduções toscas de hits famosos, rapidez ultra-extrema, esgoelagem sem fim, humor sarcástico e aquela certeza de que a anti-música feita por doidxs-do-jipe vai resistir por muito tempo. Este registro é o creme do chorume da bagaça sonora, feito numa cidade de um estado (ufa!) de uma das regiões mais loucas deste país, portanto se você gosta de música extrema feita de forma simples e direta, este é o som, esta é banda!

Página da banda: Hediondo

Ouça a demo da banda Hediondo aqui:
Download:

Vale lembrar que estes mesmos perdidos acabaram de soltar o split "Noia de Norte a Sul" com o elegante Toninho Catuaba ( o rei do Crackcore), ouça esta raridade aqui: