ALZHEIMER PODCAST

pra esquecer das coisas ruins, pra lembrar das coisas boas

MARY O AND THE PINK FLAMINGOS

Surf-punk psicodélico do jeito que diabo gosta

PAQUETÁ

O fino do surf music underground

30.9.13

VIOLATOR E RESSONÂNCIA MÓRFICA - 05/10 - GOIÂNIA


Richard Produtor de Diversões apresenta:

 - Scenarios Of Brutality Tour 2013


Discotecagem:
Richard
Glaukushi

Data: 05/10 (Sábado)
Valor: R$ 15
Local: Diablo Pub (Rua 91, Número 632, Setor Sul, Goiânia)
Horário: 22:00 



25.9.13

Inerte - Abismos Abertos - EP (2013)



Inerte é uma banda de hardcore melódico situada na região da Grande Vitória, no Espírito Santo. Influenciada pelo som de bandas como Colligere, Touché Amoré e Hot Water Music, a banda soltou em maio deste ano o EP intitulado "Abismos Abertos". O registro que conta com 8 cantigas, abre com a instrumental "Inverso", seguida da "Saciamos a equivalência na colisão" que possui uma letra um tanto conflitante na questão existencial e espiritual. A sequência "Não há nomes, não há passado, não há futuro! / Fluxo / Abismos Abertos" mostra bem a pegada energética que a banda possui, carregado de sentimento que é transmitido através do vocal que vocifera em tons de de angústia e desespero. "Pulso", a sexta faixa do EP, pareceu ser a mais intensa do registro, com a letra lembrando muito aquela fase "Coração de Tróia" do Dance of Days. A última sequência é seguida da instrumental "Frase Incompleta" e a cortante "Ácido e Turvo". Destaco aqui o excelente instrumental e entrosamento da banda, o vocal mesclado entre o rasgado e o cantarolado e as letras muito bem elaboradas, repletas de metáforas e sentimentos amargos. Pra quem gosta do melódico nacional ali da metade e final dos anos 90, a banda é recomendadíssima!!!

Página da banda: Inerte

Ouça o EP "Abismos Abertos" aqui:

Veja o clipe da música "Pulsar"

Curta a página do blog: Licor de Chorume
Siga o blog no Instagram: Licor de Chorume

24.9.13

Bandanos & Toe Tag - No More Than Splatter Zombies With Guitars - Split 7'' (2013)



Aí está negadis, novo registro da paulista Bandanos, desta vez a banda divide os trabalhos com os americanos do Toe Tag, b anda que conta com ex-membros da fudida The Accüsed. O esquema saiu em vinil 7 polegadas, de um lado 3 cantigas pro Bandanos (2 inéditas e um cover de "Subliminal" do Suicidal) e do outro lado são 2 musicólas para o Toe Tag. O redondinho é um lançamento bancado pela Läjä Rex/ Raw Recs / Rock Mutante Discos e se você gosta de crossover, trahshcore, harcore, punk, garage rock, usa bandana até pra dormir, anda de skate em porta de igreja ou coisas do tipo, esse bonito registro é pra você, derrotista por excelência!

Página da banda: Bandanos

Download:

O disco foi roubado do sítio No Punks In K-Town

23.9.13

Undead - A Tribute to Disrupt (2013)



 

                             

Disrupt foi e é uma das bandas mais importantes e influentes dentro do universo hardcore/punk/crust mundial. A banda que encerrou suas atividades lá nos perdidos de 1994, deixando um legado dentro da cena e sendo umas das precursoras da mistura do grindcore com o hardcore/punk. E nesse 2013 caótico a Power It Up idealizou um dos tributos mais lindos lançados nos últimos anos, "Undead - A Tribute to Disrupt" conta com diversas bandas de todas as partes do mundo, e claro, nosso país está representado na compilação através das bandas Homicide, Besthöven, Expurgo, Stench Of Death, Discrepante, Pureza Genocida e Street Fear. O esquema foi lançado em cd e lp duplo e o projeto gráfico do registro está impecável, obra prima da desgraça sonora. Confira a track list completa logo abaixo e sinta o baque na molêra que esta brutalidade causa! Boa audição, ou não!

Disco 1
01 - Murder Construct - Mindlock (EUA) - Unrest LP
02 - Strong Intention - Pay For & Down My Throat (EUA) - Unrest LP
03 - Misery Index - Reality Distortion (EUA) - Unrest LP
04 - Destroyed In Seconds - A Life's A Life (EUA) - Unrest LP
05 - Black Hole of Calcutta - Down My Throat (EUA) - Unrest LP
06 - Line Up Your Lies - Unrest (EUA) - Unrest LP
07 - Massgrave - No One Seems To Give a Fuck (Canadá) - Disrupt / Warcollapse Split 7''
08 - Famine - Eat Shit (Canadá) - Disrupt / Destroy Split 7''
09 - Los Rezios - Be Your Own Boss (Peru) - Self Titled 7''
10 - Stench Of Death - You've No One To Blame & Xenophobia (Brasil) - Disrupt / Sauna Split LP
11 - Besthöven - Anti-Sobriety Song (Brasil) - V/A Son of Bllleeaaauuurrrggghhh! CD
12 - Discrepante - Deprived (Brasil) - Deprived 7''
13 - Homicide - Tortured In Entirety (Brasil) - Unrest 7''
14 - Pureza Genocida - Crock O' Christian (Brasil) - Disrupt / Tuomiopaivan Lapset Split 7''
15 - Street Fear - Domestic Prision (Brasil) - Unrest LP
16 - Expurgo - Body Count (Brasil) - Disrupt / Taste Of Fear Split 7''
17 - Livstid - Unrest (Noruega) - Unrest LP
18 - Parasit - Complaint (Suécia) - Unrest LP
19 - Vengeance Of Karma - Green To Grey (Suécia) - Unrest LP
20 - Passiv Dödshjalp - Anti-Sobriety Song (Suécia) - V/A Son of Bllleeaaauuurrrggghhh! CD
21 - Kringskontrast - Give It Back (Suécia) - Deprived 7''
22 - Kronisk Misantropi - Oändliga Ofter ["Body Count"] (Suécia) - Disrupt / Taste Of Fear Split 7''
23 - Irritation - Be Your Own Boss (Suécia) - Self Titled 7''
24 - Dick Tracy - Domestic Prison (Suécia) - Unrest LP
25 - My Cold Embrace - Neglected (Alemanha) - Unrest LP
26 - Per Capita - Squandered (Alemanha) - Unrest LP

Disco 2
01 - Accion Mutante - Give It Back (Alemanha) - Deprived 7''
02 - Entrails Massacre - Same Old Shit (Alemanha) - Unrest LP
03 - Neuron - Religion Is Beschiss ["Religions Is A Fraud"] (Alemanha) - Unrest 7''
04 - AXT - Critics (Alemanha) - Deprived 7''
05 - Tacheless - Trapped (Alemanha) - Disrupt / Sauna Split LP
06 - Necromorph - Solidarity (Alemanha) - Disrupt / Disdain Split 7''
07 - Unchallenged Hate - Deprived (Alemanha) - Deprived 7''
08 - Collision - Lack Of Intelligence (Holanda) - Deprived 7''
09 - Krush feat Dr Dynamite - A Life's A Life (Holanda) - Unrest LP
10 - Days Of Desolation - An End To White Rule (Bélgica) - Disrupt /Sauna Split LP
11 - Dehuman - Give It Back (Bélgica) - Deprived 7''
12 - Gromibard - A Life's A Life (França) - Unrest LP
13 - Department Of Correction - We Stand Corrected (França) - Unrest LP
14 - Whoresnation - God Fearing Citizen (França) - Disrupt / Disdain Split 7''
15 - Pulmonary Fibrosis - Unrest (França) - Unrest LP
16 - Faxe - Faction Disaster (França) - Unrest LP
17 - Embalming Theatre - Rid The Cancer (Suíça) - Rid The Cancer 7''
18 - Humus - Exorbitant Prices Must Diminish(Itália) - Disrupt / Disdain Split 7''
19 - Gelo - Dog Cat Dog (Itália) - Refuse Planet 7''
20 - Slavebreed - Dog Cat Dog (Grécia) - Refuse Planet 7''
21 - Alea Iaca Est - Xenophobia (Eslováquia) - Disrupt / Sauna Split LP
22 - Krüger - Pay For (República Tcheca) - Unrest LP
23 - Enth - Down My Throat (Polônia) - Unrest LP
24 - Foible Instinct - Domestic Prison (Ucrânia) - Unrest LP
25 - Distress - Led To The Gallows (Rússia) - Disrupt Dead /The Rest CD
26 - Failure Trace - Mass Graves (Tailândia) - Unrest LP
27 - Drickas Terror - God Fearing Citizen (Indonésia) - Disrupt / Disdain Split 7''
28 - Extreme Decay - No Values (Indonésia) - Refuse Planet 7''
29 - Aftercoma - Leave Me Be (Indonésia) - Disrupt / Sauna Split LP
30 - Otnamus - Smash Divisions (Indonésia) - Deprived 7''
31 - Proletar - Millions Die For Moneymaking (Indonésia) - Self Titled 7''
32 - Analdicktion - Human Garbage (Cingapura) - Unrest 7''
33 - Nailed Down - Body Count (Austrália) - Disrupt / Taste OF Fear Split 7''

Download:

19.9.13

Street Ground #04




Uns meses atrás eu recebi aqui no escritório uma pacotada de zines, preza muito bem feita pelo parceiro Rogério Alves (Art Till Death). E nesse tráfico de informação subversiva, chegou em minhas delicadas mãos a 4ª edição do excelente Street Ground, que é todo idealizado / confeccionado pelo Rogério. Neste quarto número do folheto xecorado, a abordagem principal gira em torno do Encontro de Stencil que rolou em São Paulo no ano passado, tudo relatado em texto e boas fotos do evento. O zine mostra também através de retratos várias tags, posters e stickers espalhados pela cidade cinza, além de uma interessante entrevista com a banda de Skate Rock Contra-Tudo e as habituais resenhas de discos e fanzines. Quem já conhece sabe, mas relato mais uma vez aqui o primor que é o trampo do Street Ground, muito bem elaborado, escrito e feito, e tenho a plena certeza que se você curte esse universo underground, arte de rua, hardcore, skate e tudo que rema contra esta sociedade tradicional, este bonito folheto é um prato cheio para suas vontades. Sei que o zine está custando 5 dinheiros, vindo junto uma porrada de stickers, e o dinheiro irá servir para custear a produção do próximo número do folheto. Vale muito adquirir o esquema e requintar a sua nobre coleção de publicações independentes!

Página: Art Till Death

Adquira o zine Street Ground e outras publicações na loja Art Till Death


18.9.13

Jah Hell Kick - Músicas do próximo disco


Jah Hell Kick é uma banda de hardcore oriunda de São Paulo e conta com membros e ex-membros de bandas do naipe de Positive Youth, Good Intentions e  Rethink. O conjunto é formado por Jorel (vocal), Alex (guitarra), Felipe (guitarra), Denis (baixo) e Rafael (bateria), e os cabras estão com alguns sons novos na pista, cantigas estas que farão parte do disco intitulado "Reds" que está no forno, prontinho pra sair e pra negada pirar. A linha de som dos bacharéis segue o hardcore oitentista, mesclando com o melódico noventista, com guitarras muito bem executadas, riffs que cativam e letras em português que propagam o positivismo e disparam contra os males da sociedade. Destaque aqui para as músicas "Bem-Vindo ao Inferno", "Não Espere Por Ninguém" e "Anos Depois", que me agradaram muito, além dos coros que eu também gosto bastante e causa uma nostalgia boa. Se você gosta de O Inimigo, Stiff Little Fingers, Eu Serei A Hiena e coisas do tipo, a banda é uma ótima pedida, pois o som é bem feito, a mensagem é bem passada e já digo que o disco que está por vir, vai ser um dos grandes lançamentos deste ano dentro do underground nacional. Ouça e deixe na função "repeat"!

Página da banda: Jah Hell Kick

Ouça as músicas aqui:

Baixe as músicas aqui:

Veja o vídeo clipe da música "Não Espere Por Ninguém" aqui:

17.9.13

Zine Velho Rabugento #67


Fala aí galera doida que acompanha este lastimável blog que rabisca sobre cantigas sem futuro. Pois é, começo de semana na labuta e a boa novidade deste dia que representa a prole que é sugada pelo sistema é o mais nova edição do Zine Velho Rabugento. O folheto já resiste tem algum tempo e chega neste mês de setembro em sua incrível 67ª ediçón, com as dificuldades que sempre conhecemos ao tocar um projeto independente, mas o esquema tá aí, firme e forte na luta. Nesta edição conta com a já tradicional coluna do blog Sonidos Rabiosos, entrevista com as bandas Change Your Life, Signo XIII, Scória e o Alysson (Dinno Discos, DxDxOx, Livre?, Demonterror), arte do Corgo (Pode Pá e Corgüento), além de uma coluninha marôta deste sítio em que eu indico discos, blogs e zines. O comante do Velho é o parceiro Edilson Ramos e pra quem ainda não conhece, este folheto é oriundo lá de São José do Egito. Agradeço aqui a confiança, o espaço e a parceria..., e que a cultura do corta-cola-xeroca se espalhe cada vez mais pelos esgotos e bueiros deste submundo alternativo. Por enquanto o folheto está apenas na versão PDF, mas logo sai a versão física. Leia, indique e confie!
Foto da capa do zine por: Ricardo Augusto

Página do Zine: Zine Velho Rabugento










Download do Zine Velho Rabugento #67 na versão PDF
Zine Velho Rabugento #67


12.9.13

Motor City Madness - Motor City Madness (2013)


Meses atrás este blog havia feito uma tosca resenhóla do bonito EP da banda gaúcha Motor City Madnes. Agora este seboso sítio volta a falar dos cabras, é que o conjunto de cantiga suja rápida composto por Sergio Caldas (guitarra/voz), Cássio Konzen (guitarra), Rene Mendes (baixo) e Rodrigo Fernandes (bateria) , soltou recentemente o seu primeiro álbum cheio. A bolacha conta com 11 cantigas de tirar o fôlego daqueles que amam o rock de garagem e seus derivados, as músicas exalam a vida junkie, filmes de terror e diversão. "Schizoid", música que abre o disco e que também possui um vídeo clipe, é um dos grandes destaques da bolachita. A sequência "Rope-A-Dope / Dead Man's Hand / Mr Dynamite" fez com que minha mobil-dois-tempos parecesse uma chopper dos Hells Angels, até que ela parasse de funcionar e eu voltava a trsite realidade de um raparigo pobre ouvindo disco de rock style. No decorrer da audição é amplificador no talo, riffs feroses e vocal sujão, ora passando por um stoner bem original, ora namorando com o hard rock ou com boa pitadas de punk 77. Cantigas como "New Order Disorder", "Crazy City Nights" e "Ready to Explode" é de deixa a pessoa com o juízo meio perturbado e o registro como um todo é uma obra prima do atual rock selvagem nacional
A linda arte de capa leva a assinatura do mestre Daniel ETE e já digo que a banda é o novo coqueluche do underground nacional, som pra rockista-style-chapado-que-troca-o-dia-pela-noite nenhum botar defeito. Ouve o esquema todo e depois conversa comigo. Baita banda, registro lindão. Ouça e espalhe que nem praga!!!

Página da banda: Motor City Madness

Ouça o disco do Motor City Madness aqui:

Veja o clipe da cantiga "Schizoid"

11.9.13

Exposição "Duas Cidades" de Oscar Fortunato - 12 de Setembro em Brasília/DF




Duas Cidades

Oscar Fortunato expõe na Objeto Encontrado mais de 20 obras, entre telas, gravuras e outras plataformas farão parte da exposição “Duas Cidades”, que ficará em cartaz de 12 de setembro a 12 de outubro.

No dia 12 de setembro, quinta-feira, às 20h, a Galeria Café Objeto Encontrado abre a exposição “Duas Cidades”, do artista plástico goianiense Oscar Fortunato. A mostra fica disponível para visitações até o dia 12 de outubro.
Serão exibidas mais de 20 obras do artista: telas, gravuras e outras peças. Entre elas, alguns exemplos das inúmeras intervenções urbanas que Fortunato leva às ruas de Goiânia, Brasília e outras cidades. Lambes, adesivos e azulejos dão voz às inquietudes do artista.
Gercinas que tropeçam pelas calçadas, Pedros brigões e um falante Zoroastro espalhados, a espera do olhar dos passantes. Um lambe avisando que "Pessoas Soltas" estão por perto ou até mesmo o lambe com os candangos de Bruno Giorgi segurando bandeiras negras.
Estarão expostas ainda telas de grandes formatos e serigrafias únicas em dípticos que conversam entre si, todas com jogos óticos, uma das características de Oscar, que produz 100% sua obra. Do começo ao fim.
Oscar Fortunato, inspirado em Charles Dieckens
Foi o melhor dos tempos, era o pior dos tempos. Duas cidades separadas por tão pouco. Tão juntas e tão separadas. Preconceitos bobos de ambas as partes, pequenos sentimentos que parecem dissiparem com o nosso conhecimento mútuo. Aprendemos a entender o nosso vizinho e ele começou a ver a nossa graça.
Duas cidades que quase utopicamente se incrustaram no coração desse país. Cidades que nasceram do sonho de dois homens, que enfrentaram sem medo os enormes desafios de suas épocas. Temos uma história muito parecida, nascemos num mesmo tempo. Temos os mesmos desejos.
Foi a época da incredulidade. Nossas diferenças nos atraem. Nossas trocas aumentaram. Estamos nos entregando um ao outro. Vai chegar o momento em que não haverá mais distância. Sempre foi missão da arte unir as pessoas, celebrar o encontro e promover o progresso da humanidade.
Não posso carregar outra intenção além desta. Estreitar esses laços. Mostrar que estereótipos são falsos. Que precisamos deixar de lado a geografia inventada pelos homens e nos permitirmos as coisas do coração.
Temos tudo diante de nós e não temos nada contra nós.


SERVIÇO

O quê: Abertura da exposição Duas Cidades, de Oscar Fortunato.

Quando: 12 de setembro, às 20h.

Onde: Galeria Café Objeto Encontrado. CLN 102 Bloco B, Loja 56.

Telefone: 61 33263504

Entrada franca
Aberto para visitação: de 12 de setembro a 12 de outubro de 2013

10.9.13

MxDxCx (Mensageiros do Caos) - Demo (2013)


MxDxC são as três letritas abreviadas que significam "Mensageiros do Caos", banda de grindcore formada no ano de 2012, oriunda lá de Salvador/BA. O conjunto de cantiga rápida conta em seu magnífico cast de anti-músicos, os seguintes cabras: Adílio (vocal), Caio (vocal), Gilberto (guitarra), Alessandro (baixo) e Adriano (bateria). Os bacharéis baianos estón com uma bonita demo na praça, bolachinha que conta com 11 caóticas cantigas, que mescla o grindcore, powerviolence e toda a anti-música rápida que este underground nos proporciona. Gravação caseira, no esquema "faça-você-mesmx", letras que abordam todas as desgraças que este mundo capitalista produz nas pessoas, riffs malandros de uma guitarrinha firmeza, vocais deliciosos de ouvir ( bem ao naipe "porco-sendo-sacrificado") e influências óbvias de bandas como ROT, Disrupt, Agathocles, Sick Terror, Life is A Lie, Pig Destroyer e sons semelhantes que fazem bem para alma, mente e coraçón. Não sei se é porque eu sou podre demais, mas o esquema de fazer o som sem frescura, reto, direto, tosco e da forma mais suja e agressiva possível, é o que sempre vai agradar mais os meus ouvidos. O disco não passa dos 13 minutos, e nem precisa, pois o recado é mais que dado nesses minutos preenchidos pelos nobres engenheiros empenados da cantiga rápida, aliás, a derradeira música intitulada "Servidão Moderna", constitui apenas de uma fala que é um golpe de foice na jugular daqueles que acham que o sistema atual é o mais justo e correto. Adorei a demo e indico pra você que gosta de sonoridade ultra-rápida e que bebe da fonte da velha escola do grind. Ouça!!!


Ouça duas músicas do MxDxCx (Mensageiros do Caos) aqui:

Baixe a demo da banda aqui:

Tem também um split muito foda, que conta com o Agamenon Project

Para saber mais sobre o Agamenon Project, acesse:

Baixe o split aqui:

5.9.13

Sinfonia Para Martelos - 21/09 - Pindamonhangaba/SP


Lançamento oficial do livro SINFONIA PARA MARTELOS do Escritor CARLOS JR. e do zine MANIFESTO POÉTICO em PINDA!
https://www.facebook.com/escritorcarlosjunior?fref=ts

Bandas:

Anesthesia Skate Punk hc
http://www.youtube.com/watch?v=pdrKf1g1ivU

RISING TO BREATH OUT
https://myspace.com/risingtobreatheout

RUA 25
http://bandasdegaragem.uol.com.br/banda/bandaRUA25

Participação especial:
RAMIRO APE

venda de cds,disco de vinil e materia independente.

SEBO DE LIVROS +OFICINA DE ZINE+ OFICINA DE PIXE E SARAU COM O TEMA "QUANTO VALE A LIBERDADE "?

TRAGA SEUS ZINES E PANFLETOS PARA DISTRIBUIR!

ENTRADA: 5 REAIS.

TODO A BILHETERIA DO EVENTO SERÁ DOADO A ASSOCIAÇÃO CENTOPÉIA DE PROTEÇÃO AOS ANIMAIS DE PINDAMONHANGABA!!!

https://www.facebook.com/centopeia.oliveira?fref=ts

+ VENDA DE HAMBURGUERS VEGAN NO LOCAL!

APOIO:

FAMINTUS RECS.
https://www.facebook.com/faminttusrecords?fref=ts

WASTED LOBO
http://wastedlobo.blogspot.com.br/

NO SCHOOL RECORDS
http://noschoolmerchandise.blogspot.com.br/

LOBO COMPANY
https://www.facebook.com/Lobozilla?fref=ts

SOCO NA FUÇA PRODUÇÕES
https://www.facebook.com/soconafuca.producoes?fref=ts

POEIRA MALDITA
http://poeiramalditadistro.blogspot.com.br/

ASSOCIAÇÃO CENTOPEIA DE PROTEÇÃO AOS ANIMAIS
http://associacaocentopeia.blogspot.com.br/

CONFIRME PRESENÇA!!!

LINK DO EVENTO: https://www.facebook.com/events/1410184855869438/?fref=ts

4.9.13

Elefante Branco, Gringos e Leptospirose

Domingo era dia de rolêt jóvem em Goiânia. Tarde ensolarada, quente e com baixa umidade, fator que causa muita coriza, sangramento nas ventas, consumo excessivo de bebida (alcóolica ou não) e o afloramento de odores indesejáveis nas pessoas que não possuem o bonito hábito de se assearem de forma socialmente adequada. A minha pessoa havia passado no período matutino deste dia familiar na feira da marreta pra jogar carteado, depois em hipermercado francês para aproveitar as promoções e adquirir excelentes ampolas de antarctica original e ingredientes para o preparo de uma leve feijoada-acidente, e já digo, o esquema ficou finésse, e que a privada do wc da residência em que eu estava alojado relate a lapa de estrume que depositei no aposento do rei seboso. 
Com as tripas devidamente limpas, corpo hidratado com óleo de amêndoas paixão e elegantemente trajando a vestimenta da linda banda candanga Gulag, parti em rumo ao Centro Cultural Oscar Niemeyer, o famoséx elefante branco do estado que serve de palco para alguns eventos direcionado ao pessoal alternativo-fotogênico desta cidade. Cheguei na portaria, enfrentei uma fila básica que estava bem agilizada e demorei poucos minutos para adentrar no recinto. O esquema de entrada estava sendo o famigerado #qntovaleoshow, em que o público decide o quanto paga por aquele show, com os valores girando entre R$ 5 até R$ 100. Tendo em vista que já fui em alguns eventos com esse formato, pagando sempre o mínimo valor fixado, digo que como público consumidor este modelo é muito atrativo para tirar as pessoas de suas casas (inclusive eu!), mas sei que pela escassez de espaços e pela falta de apoio na cena underground da cidade, para a maioria dos organizadores este tipo de modelo torna-se quase que inviável..., mas a única coisa que eu sei é que tem muito mel de arapoá nesse jogo, pois o bagulho vira o enxame de gente descolada, negada que surge de todas as áreas de nossa capital.
Voltando ao relato, logo que adentrei ao monumento riscado pelo falecido Oscar, minha pseudo-velhice de rolêts bateu e aquela enorme aglomeração de joviais que não passavam
Coletivo Sui Generis - Foto: Renata Bandeira
de 17 anos causou algum incômodo em mim. Liguei o foda-se, lembrei que já passei por aquela fase (os jóvens sebosos presentes, alguns com cola e sabão no picumã pra modelar  o moicano, representam esta minha fase adolescente.) e tentei focar nos shows que iriam acontecer. E logo de cara peguei a apresentação do Coletivo Sui Generis, que conta com o Sedel e o Dj Gez no time, maloqueiros conhecidos da cena Hip Hop e Hardcore da cidade. O som ao vivo é pressão pra caralho, com o Sedel rimando muito (como sempre), instrumental bem na linha Body Count, Biohazard, Public Enemy, Pavilhão 9 e o Dj Gez apavorando nos riscos dos toca-discos. Com os vocais variando entre a rima e o gutural, a banda fez com que algumas dezenas de raparigos agitassem em toscas rodas desordenadas, que em alguns momentos tornavam-se agressivas. Gostei muito do que vi, som bem elaborado, papo reto sem firulas e o rapcore do Coletivo representou bem a gangueráge das ruas goianienses. De quebra ainda rolou uma session de freestyle, pra quem gosta de
Pista de skate - Foto: Valter Mustafé
batida, rap e improviso, o momento foi bem interessante e tirou bons aplausos do público presente. 

Fui bater um fio, conferir a galera que andava de skate na pista montada há alguns metros do palco e vi uma pá de molecada mandando uns flips e tal, alguns backside bigspin e até uns frontside 180° flip bem style, vi pouco, porém muito.  O calor era latente e a vontade de beber algumas latitas de cerveja era enorme, mas quando vi o tamanho da fila, o desejo de grávida logo passou e vou dizer, passam os anos, os eventos tornam-se maiores, mais estruturados aqui em Goiânia e a problemática da falta de um maior número de caixas para atender o público com mais rapidez e respeito continua. O mapa de palco e de
Mono Men (USA) - Foto: Valter Mustafé
espaço para o público era diferente dos outros que eu já tinha frequentado, confesso que fiquei com a sensação de aperto, além da falta de iluminação que ajudaria na orientação do pessoal e skatistas no período noturno do evento. Deixei este fato de lado e fui bater uns bons leros com as amizades ali presentes, observando de maneira um pouco longínqua os geriátricos americanos do Mono Men bailarem no palco. Confesso que não conhecia o som dos cabras e algumas cantigas me agradaram pela pegada mais rápida, já outras músicas nem tanto. Foi um show competente, talvez se eu conhecesse mais sobre a banda, a apresentação tivesse me empolgado mais. 

Logo em seguida entraram os paulistas do Maguerbes, com uma apresentação muito energética e com uma cabulosa presença de palco do vocalista, mistureba de post-hardcore, rimas, rockeragem de fundo de quintal, metal e mais alguma coisa que não consegui identificar no som dos bonitos. Vi pouco da apresentação, é verdade, pois estava com muita sede e procurava alguma alternativa pra molhar a garganta, algo que preservasse meu corpinho daquelas enormes filas.
Um papo agradável aqui, uma namorada nos merchans das bandas ali e eis que os preparativos para o show mais esperado por mim, naquela tarde/noite havia começado. Era o super power trio, mais conhecido como Leptospirose, aterrizando em solos goianos, após fazer uma cabulosa apresentação no Porón do Rock. A derradeira apresentação dos cabras nessas terras pequizeiras contara com a ilustre participación do figuraça Frango, concerto épico nos aconchegos do Martim Cererê. Desta vez minha expectativa girava em torno de ouvir cantigas novas do disco que está pra sair e, claro, ouvir crássicos do Aqua
Mad Max, Mula Poney e outras compilações. O baile dos leptos foi magnífico do começo ao
fim, comandado fervorosamente pelo mestre de cerimônia / edil / frontman / raparigo-
Leptospirose - Foto: Licor de Chorume
belo Quique Brown, com a ajuda dos ilustres Velhote e Serginho. Discurso exaltando o Mono Men, conexão do cabo da guitarra dando pau, virtuosismo em acordes catastroficamente curtos, humor sem ser ~vulgar~ e aula de rock doido pra jovial que chegou desavisado pro esquema. Já tem tempo que eu digo e reforço, o melhor show dessa esfera subterrânea do underground concentra-se nesse triêto-louco-paulista, o resto é só bafafá de Sônia Abrão pra ganhar ibope nas mídias tradicionais. Metaforicamente falando, foi o mijo do rato infectando as vias auditivas de seres sebosos que ali presenciaram o arsenal sonoro dos bacharéis.

Fiquei meio em transe ao final da apresentação, saldo positivo ao analisar todo o contexto do evento..., claro que poderia ter sido melhor, mas se os envolvidos estão há anos nessa e as falhas ainda continuam, o que resta é saber peneirar os rolêts, e este foi um que conseguiu ser coado por mim. Até a próxima!



Siga o blog no Instagram: http://instagram.com/licordechorume

Obs.: Se sua banda não foi citada nesta tosca resenha, não chore, talvez na próxima ocasião eu relate por aqui (ou não). Portanto, não fique procurando hemorroida em cu de virgem, faça a sua correria sem esperar nada em troca, beijo.

Death From Above - Insanity And Madness Tour 2013


+ 25/10 - Zapata (São Paulo/SP) - Nuclear Frost / Cadáver Em Transe / Kroni
+ 26/20 - Bar da Rose (Mogi Guaçu/SP) - Cadáver Em Transe / Fear Of The Future / Gattopardo
+ 27/20 - Tribal Show (Barueri/SP) - Helvetin Viemärit / Homeleess / Banda a Confirmar

XII Festival de Rock Equinocio - 28 de Setembro - Rio Claro (SP)


Dia 28 de setembro a partir das 13 horas na estação ferroviária (Rua 1 com Avenida 1 Centro) de Rio Claro/SP

-Ratos de Porão
-Desdominus
-Coaggula
-D.I.E.
-Garrafa Vazia
-Madness
-Sinaya
-Carniceiro
-Last Plague

Entrada: 1 litro de leite
Site: http://www.equinociorioclaro.com.br/

Link do evento: https://www.facebook.com/events/405409289571002

2.9.13

ZeroZero - Back to Basics - 7'' EP (2013)


A terra capixaba é conhecida por possuir uma população que pratica a famigerada "justiça pelas próprias mãos", por exportar talentos musicais do nível de Roberto Carlos, Paulo Sérgio, Roberto Menescal, Nara Leão, Sérgio Sampaio e Fábio Mozine e ser uma das principais cenas undergrounds deste país.. E nessa leva de peculiaridades e talentos natos, vindo deste submundo do subsolo musical, a banda ZeroZero surge como um tiro certeiro na boa safra que o hardcore/punk nacional vem proporcionando de uns anos pra cá. A banda existe desde 2009 e conta com integrantes que já tocam e/ou tocaram  em bandas como Morto Pela Escola, Chuck Norris, Ajudanti Di Papai Noel, Ex-Inferis e Los Muertos Vivientes. Vale ressaltar que este blog já resenhou de forma bem tosca (cadê novidade) a demo dos cabras e agora volta a falar do mais recente lançamento da banda, o 7'' EP "Back to Basics" que é datado de 2012, mas que ganhou o formato de bolachita somente neste ano, através da união de selos Läjä Recs e Hearts Bleeds Blue. O disco conta com 7 rápidas cantigas que passeiam pelo hardcore, punk, garage rock, surf music e o que mais conseguir identificar entre uma musicóla e outra. Semelhanças com MDC, Black Flag, Dead Kennedys em riffs, sonoridade suja e vocal rasgado não é mera coincidência, e sim a mais pura fonte de bebida limpa que os raparigos buscam para a confecção de suas belas cantigas, ouça com muito carinho as faixas "Bombshell Surfers", "Spit It", "Back to Basics" e "All The Way Down", verdadeiras belezas melodiosas que soam caóticas. 
O clã é formado por Juliano Enrico (vocal), Lucas Bonini (guitarra), Alexandre Brunoro (guitarra), Raphael Araújo (baixo) e Gabriel GQ (bateria), e se você gostou do que ouvir e quer ter um disquêto desse em mãos, neste link tu consegue uma cópia deste delicioso 7 polegaditas. Ouve o bagulho e sente o drama do esquema!


Página da banda: ZeroZero

Ouça o 7'' EP "Back to Basics" aqui:

Baixe o 7'' aqui: